Musa e Bolina: as duas cervejas artesanais juntaram os trapinhos e têm uma nova casa em Marvila

©Bolina
©Bolina

A cerveja Musa foi obrigada a sair do armazém onde estava há quase cinco anos devido à venda do espaço para a criação de um projecto imobiliário. O “casamento” com a Bolina deu-lhe uma nova casa.

O Lisbon Beer Department, uma zona de Lisboa (em Marvila) conhecida por ter três cervejeiras artesanais concentradas na mesma área, perdeu a Musa. O quarteirão onde estava o seu taproom/fábrica vai ser reconvertido, o que obrigou a procurar outra “casa”.

A partir do momento em que se soube que a Musa tinha de mudar de sítio, houve alguma especulação: o Hub Criativo do Beato foi dos locais mais falados para receber esta cervejeira artesanal, mas o destino acabou por ficar mais perto.

Em Maio, passa a ficar no mesmo espaço da cerveja Bolina, na Rua do Vale Formoso. Segundo Bárbara Simões, responsável de marketing e comunicação da Musa, a ideia de se juntarem à Bolina surgiu de forma «rápida».

©Bolina
©Bolina | O Bo Brewpub da Fábrica Bolina tem um terraço que costuma receber concertos e outros espectáulos ao vivo.

Apesar de dividirem o mesmo espaço, neste momento não está em cima da mesa uma fusão entre as duas marcas: «Vamos-nos juntar, mas não nos vamos fundir». Contudo, para já, ainda é cedo para dar uma «resposta definitiva» sobre a estratégia de ambas.

«Não temos respostas ainda claras. O caminho faz-se caminhando e a cerveja faz-se cervejando. Estamos apenas no início do nosso caminho conjunto, um processo que queremos orgânico e não inflexível, para o qual partimos sem respostas pré-concebidas».

Sobre o futuro, Bárbara Simões passa a bola para os consumidores e colaboradores das duas cervejeiras: «Serão eles e o tempo a determinar o que vai acontecer».

©Musa
©Musa | A Musa anunciou a mudança nas redes sociais com uma foto de equipa, depois de um fim-de-semana em que houve uma festa de despedida.

O que está garantido é a redução do portfólio de cervejas das duas marcas, mais uma vez com a decisão a passar pelos clientes: é natural que as cervejas mais pedidas de ambas sejam aquelas que se vão manter no “menu”. Por falar em menu, a cozinha da Musa continua a ser liderada pelo chef ‘Falso Lisboeta’ Pedro Monteiro.

Com abertura programada para «algures em Maio», esta nova vida da Musa será alvo de uma «revisão profunda e estruturada» sobre o «portfólio e a marca» – Bárbara Simões fala mesmo num possível «rebranding», que irá «reflectir um primeiro ano de trabalho em conjunto».

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].