Musa - Pedro Monteiro ©Ana Viotti

O novo chefe «sem vergonha» da Musa chama-se Pedro Monteiro e leva um twist brasileiro para Marvila

por • 27 Janeiro, 2020 • RestaurantesComentários fechados em O novo chefe «sem vergonha» da Musa chama-se Pedro Monteiro e leva um twist brasileiro para Marvila503

A Fábrica Musa, em Marvila, já tinha uma carta com alguns petiscos, mas agora passa a ter uma ementa mais consistente. O responsável é o chefe Pedro Monteiro.

Chefe. Com ‘e’ no fim, à portuguesa, e não como a palavra original em francês. «Nunca ‘chef’, por favor, que o Pedro não gosta cá dessa nomenclatura», avisam os responsáveis da Musa. É assim que nos temos de habituar com o novo líder da cozinha desta cervejeira artesanal, em Marvila.

O espaço começou apenas como uma tap room e depois começou a ter alguns salgados para acompanhar – as empanadas eram a escolha principal. Depois, a Musa começou a receber almoços, aos Domingos, com cozinheiro convidados e agora ganha um chefe para ‘dar a volta’ ao menu.

A Musa convenceu Pedro Monteiro pela cerveja

O escolhido é Pedro Monteiro, um brasileiro de Minas Gerais que vem da Taberna Sal Grosso e é um apaixonado pela produção de cerveja. A Musa apresenta-o como o «chefe sem vergonha».

«É um mestre a combinar palatos sejam eles cebola roxa e papaia para um guacamole ou colocar tomate numa cerveja e transformá-la na sour mais sumarenta que já alguma vez provaram», diz a Musa.

Se se costuma dizer que as mulheres conquistam os homens pelo estômago, a Musa convenceu Pedro Monteiro pela cerveja. Contudo, e para já, é na cozinha que o chefe brasileiro se vai concentrar – e até já podemos levantar o véu do que aí vem.

Musa - Pedro Monteiro Mesa ©Ana Viotti

Pedro Monteiro está toda a semana na Musa

Na carta estão garantidos entrecosto assado com melaço de cana, pastéis de bacalhau com molho de tomate, moelas picantes, pastéis de vento com berbigão e coxinhas de jaca.

«O Pedro sabe petiscar à portuguesa e à brasileira. E vai estar na Fábrica da Musa todos os dias da semana para o dar a provar». E nós queremos ver se também provamos isso o mais depressa possível.