A marca de higiene oral Jordan e os supermercados Go Natural lançaram a campanha Recycle to Surf: o objectivo é fazer pranchas sustentáveis.

Os chocolates M&M vão deixar de estar à venda apenas em formato de drageias. Nas lojas, passa a haver três barras de chocolate, com avelãs e amendoins.

Wonther e Ownever criaram uma pulseira a partir da reutilização de ouro e prata, com bioleather. O preço pode ultrapassar os cinco mil euros.

O objectivo é, segundo a marca, «facilitar a compra». As embalagens têm agora informação mais directa.

Até ao Dia de Reis, os restaurantes Mercantina vão desafiar os clientes a comprar ceias invisíveis, convertidas em donativos.

A nona edição do festival de cinema O Dia Mais Curto está de volta no último mês do ano, com trinta dias de sessões em trinta cidades Portuguesas.

A curta-metragem Ídolo, cujo argumento foi escrito por Fernando Pessoa, chega aos cinemas com quatro sessões gratuitas em Lisboa e Porto.

Até 21 de Dezembro, há paragens de autocarro mascaradas de casotas do Snoopy. A iniciativa da Swatch serve para assinalar o lançamento da colecção de relógios dos Peanuts.

Este é um daqueles espaços que se pode tornar um viveiro de adjectivos e trocadilhos. Há mais um: um clube de sonhadores. O 46 Lisboa é uma galeria de arte que se funde com um restaurante.

Se é fã de cinema, tiver sessenta mil euros e uma área com, pelo menos vinte metros quadrados, pode pedir à Concin um projecto para criar uma sala à sua medida.

Três ONG nacionais ligadas ao ambiente e ao activismo humanitário consideram que a cimeira do clima que aconteceu na Escócia é uma «base para progressos futuros», mas que não atingiu o objectivo principal.

O restaurante A-100 faz uma acção solidária que envolveu o envio de um hambúrguer para o Espaço; o objectivo é promover a angariação de donativos para a Make-A-Wish.