A partir do início de Fevereiro, Portugal conta com mais uma vacina para a COVID-19. A opção da Universidade de Oxford e da AstraZeneca junta-se à da Pfizer, que chegou em Dezembro ao País.

É apresentado esta semana em Famalicão, por um consórcio de empresas portuguesas, uma nova técnica que tem como objectivo neutralizar o SARS-CoV-2 em têxteis e objectos.

A companhia aérea alemã actualizou as regras para o uso de máscaras comunitárias (feitas de tecido) nos seus voos; França já as proibiu.

A proposta da UCI envolve a disponibilização de três salas em Lisboa e Porto, com a garantia de espaços para «gerir as vacinas em segurança».

O Smart Cap parece um boné perfeitamente normal, mas tem sensores que detectam quando nos aproximamos demasiado de outras pessoas.

Como já tinha acontecido em Março, a Escola Virtual da Porto Editora volta a abrir as portas, de forma gratuita, para que alunos e professores tenham acesso a conteúdos de ensino.

Os números relativos ao impacto da pandemia de COVID-19 em Portugal já andam a circular em vários grupos de Facebook e WhatsApp e apontam para mais um recorde diário.

Depois de ontem ter anunciado uma nova carta para take-away e entregas exclusivas em Lisboa, o chef voltou atrás e decidiu «fechar temporariamente» os restaurantes.

O comunicado do Governo sobre as novas medidas para restaurantes em shoppings apontava para o fecho total, mas uma actualização às regras acabou com as dúvidas.

O Lapo tornou-se conhecido de grande parte do público por ter aberto para um jantar na Sexta-Feira, o que é contra as regras decretadas pelo Governo do novo Estado de Emergência.

Com o decreto do Estado de Emergência e a imposição de mais um confinamento, o Governo definiu novas regras para as apps de entrega de refeições. A Uber Eats não gostou.

Ao contrário do que disse o epidemiologista Manuel Carmo Gomes na mais recente reunião do Infarmed, a Nova Information Management School diz que os casos de COVID-19 vão baixar.