Poluição em Itália ©Alexander Tsang
Poluição em Itália ©Alexander Tsang

Satélite da Agência Espacial Europeia mostra redução das emissões de NO2 no Norte de Itália (vídeo)

A ESA (Agência Espacial Europeia) partilhou um vídeo que mostra uma análise do satélite Copernicus Sentinel-5P sobre o resultado ambiental do surto de SARS-CoV-19 no Norte de Itália.

Tal como aconteceu na China, principalmente na zona a Norte de Wuhan, onde começou a propagação do novo Coronavírus, também em Itália há evidências de que a poluição baixou, como consequências das medidas de isolamento e quarentena em cidades inteiras.

No princípio de Março, a NASA tinha tornado público algumas imagens que mostravam reduções drásticas de gases de estufa sobre a China, ligadas ao facto de as indústrias terem parado e de a circulação de transportes ter diminuído.

Três meses de evolução negativa dos níveis de poluição

Agora, a ESA segue o exemplo da agência espacial dos EUA e partilha imagens de satélite que mostram uma evolução semelhante no Norte de Itália, principalmente na região da Lombardia, a mais afectada pelo surto do COVID-19.

Captadas pelo satélite Copernicus Sentinel-5P (na foto, em baixo), que a ESA diz ser, actualmente, o «instrumento mais preciso para medir a poluição do ar a partir do Espaço», as imagens mostram um redução, ainda que mais leve que a verificada na China, dos gases de estufa naquela zona de Itália.

O vídeo da ESA mostra a flutuação dos valores de dióxido de azoto (NO2) ao longo de três meses, desde o início de 2020 até 11 de Março. À medida que a timeline se aproxima de Março, é possível ver a cor vermelha a diminuir, o que significa a redução dos níveis máximos da presença deste gás na atmosfera italiana.

Copernicus Sentinel-5P ©ESA

NO2 é um gás que tem origem na queima de combustíveis

Ao contrário do ao dióxido de carbono (CO2), cujas emissões podem também ser provocadas por elementos naturais, como fogos ou erupções vulcânicas, o dióxido de azoto tem a sua origem na queima de combustíveis fósseis, principalmente em transportes e indústria.

«Embora possa haver variações de dados por culpa das condições atmosféricas, acreditamos que a redução de emissões que as imagens mostram têm que ver com a situação de emergência em Itália, que fechou tudo no país» disse Claus Zehner, o líder de missão do Copernicus Sentinel-5P. O vídeo pode ser visto aqui em baixo (sem som).

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].