Guia Michelin 2020 em Portugal: quem perdeu, quem ganhou e quem manteve as estrelas nos restaurantes?

por • 21 Novembro, 2019 • GastronomiaComentários fechados em Guia Michelin 2020 em Portugal: quem perdeu, quem ganhou e quem manteve as estrelas nos restaurantes?361

Na noite da apresentação do Guia Michelin 2020, Rui Paula acabou por ser o grande vencedor. O chef conquistou a segunda estrela para a Casa de Chá da Boa Nova. Mas nem tudo foram boas notícias.

E vamos começar mesmo pelas desilusões, principalmente pelo facto de Portugal continuar a não ter um restaurante merecedor da distinção máxima do Guia Vermelho da Michelin. Nem Sá Pessoa, nem Ricardo Costa, nem José Avillez conseguiram a terceira estrela, o que acaba por ser difícil de perceber em restaurantes que já se mantêm no topo há tanto tempo.

A outra tem que ver com as saídas do Guia – três restaurantes perderam a única estrela que tinham. Henrique Leis (cujo chef homónimo já tinha mostrado a intenção de sair do guia para se dedicar a outros projectos), Willie’s (de Willie Wurger) e o L’And Vineyards (onde estava Miguel Laffan, que este ano saiu para o Atlântico, do InterContinental Cascais-Estoril).

Rui Paula ganha segunda Estrela Michelin para a sua Casa de Chá

Mas como é sempre melhor ver as coisas pelo lado positivo, há cinco novas estrelas para contabilizar, mais uma que no ano passado. A mais importante acabou por ir para aquele que foi o grande vencedor da noite de apresentação do Guia Michelin 2020, em Sevilha: o chef Rui Paula.

A sua Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira, na foto, em baixo) fica agora com duas estrelas e faz aumentar o número de restaurantes com esta distinção Michelin para sete. Rui Paula junta-se, assim, a um grupo onde já estão Henrique Sá Pessoa, José Avillez, Benoît Sinthon, Ricardo Costa, Hans Neuner e Dieter Koschina.

As outras quatro Estrelas Michelin representam outras tantas estreias no Guia Michelin, com o destaque a ir para Viseu e Faro, que passam a ficar representadas no mapa. A Norte, o vencedor foi o Mesa de Lemos (Diogo Rocha): a Sul, a distinção foi atribuída ao Vistas, de Rui Silvestre. As outras duas primeiras estrelas ficaram em Lisboa: Epur (Vicent Farges) e Fifty Seconds (Martín Berasategui).

O que são as Estrelas Michelin?

As Estrelas Michelin são uma distinção dada aos melhores restaurantes do Mundo, reunidos pela marca de pneus num guia. As origens desta publicação temos de recuar até 1900. Neste ano, André Michelin (fundador da Compagnie Générale des Établissements Michelin) decidiu criar um guia turístico para promover viagens de automóvel, meio de transporte que, na época, era uma novidade.

O objectivo de André Michelin era reunir restaurantes e hotéis num roteiro para cativar as pessoas a comprar carros para viajar e, assim, fazer crescer o seu negócio de pneus. Com o passar dos anos, o Guia Michelin ganhou credibilidade e começou a ser o principal catálogo dos melhores restaurantes e hotéis de França e, mais tarde, de todo o Mundo.

O máximo que um restaurante pode conquistar são três estrelas Michelin, “honra” que cabe apenas a quase 120 restaurantes em todo o mundo, a maior parte deles no Japão e em França. O restaurante que mantém estas três estrelas há mais tempo é o francês L’Auberge du Pont de Collonges (Lyon): a terceira foi ganha em 1965.