IndieLisboa 2019

Guia completo: tudo o que pode ver e os filmes de destaque da edição de 2019 do IndieLisboa

por • 22 Abril, 2019 • CinemaComentários fechados em Guia completo: tudo o que pode ver e os filmes de destaque da edição de 2019 do IndieLisboa513

Há dezasseis anos que é assim: por esta altura, Lisboa veste-se com o melhor do cinema independente de todo o mundo, com dezenas de sessões espalhadas por vários cinemas de Lisboa: esta ano há 270 filmes para ver. O destaque é o Brasil.

O São Jorge, o Cinema Ideal, a Cinemateca Portuguesa e a Culturgest: estes são os palcos onde, pelo décimo sexto ano consecutivo vai ser possível ver algum do melhor cinema independente em Portugal.

A 16.ª edição do ‘Indie’ promete voltar a trazer aos espectadores portugueses «o melhor e mais recente cinema nacional e internacional», sublinham Carlos Ramos, Miguel Valverde e Nuno Sena, directores do festival, que este ano receberam 4500 filmes.

Destes, foi feita uma selecção de 270 filmes (86 longas e 184 curtas metragens). Apesar de ter obras de todo o mundo, a organização continua a «reservar um destaque especial» para o cinema português: «Este ano estarão presentes 51 filmes portugueses (15 longas e 36 curtas metragens), 23 dos quais integram a competição nacional (17 curtas e 6 longas metragens)».

Em 2019, os “heróis” são o Brasil e Anna Karina

Em 2019, o IndieLisboa vai ter, assim, quase trezentos filmes para ver entre curtas e longas-metragens sobre vários temas – o mais importante do ano será mesmo a actualiudade no Brasil, uma vez que o festival deste ano tem como ‘Herói Independente’ (o homenageado de cada edição) o país agora liderado por Bolsonaro.

O IndieLisboa usa a expressão ‘Brasil em Transe’ para apresentar o seu “convidado” especial desta edição, partindo exactamente da mudança política neste país da América do Sul, ao fazer do cinema um «sismógrafo de um país em transe», escreve a organização do festival.

«Que reflexos deste estado de coisas se encontram no cinema? Essa é a pergunta que fazemos neste programa, composto integralmente por filmes dos últimos 12 meses e realizados por jovens cineastas (vários deles estreantes), que filmam com a urgência que a atmosfera social impõe e atacam o real com as mais variadas ferramentas narrativas».

Democracia em Vertigem (Gabriel Mascaro, 140 minutos), Seus Ossos e Seus Olhos (Caetano Gotardo, 118 minutos), Tragam-me a Cabeça de Carmen M. (Felipe Bragança, Catarina Wallenstein, 60 minutos – foto de destaque) e No Coração do Mundo (Maurilio Martins, Gabriel Martins, 121 minutos) são alguns dos destaques da programação de longa metragens brasileiras no IndieLisboa.

O outro Herói Independente deste festival de cinema (ou melhor, ‘heroína’) é a actriz dinamarquesa Anna Karina, que ficou conhecida por ser uma das musas do realizador francês Jean-Luc Goddard: foi protagonista em sete dos seus filmes.

Anna Karina

No IndieLisboa vai ser possível ver todos estas longas metragens: Alphaville, Bande à Part, Made in USA, Le Petit Soldat, Pierrot le Fou, Une Femme Est Une Femme e Vivre Sa Vie; além destes, também há outras quinze longas e curtas com Anna Karina, sendo que a actriz estará em Lisboa com convidada do Indie.

IndieJúnior com música, filmes e workshops

O cinema para os mais novos continua na agenda do IndieLisboa e este ano houve uma parceria com uma turma do 9.º ano do Colégio Moderno e de duas turmas do 6.º ano da Escola Luís Madureira, no âmbito da actividade ‘Eu Programo um Festival de Cinema’. A selecção de filmes (curtas) destes alunos integram, respectivamente, as sessões Em Rota de Transformação (+ 12 anos /3.º ciclo) e Coisas que Acontecem (+10 anos/ 2.º ciclo).

Outro dos destaques é o cine-concerto Mundo Animado com a participação de três intérpretes residentes do Serviço Educativo da Casa da Música: António Serginho, Óscar Rodrigues e Pedro Cardoso (Peixe), que vão tocar durante uma sessão de cinema com dois filmes mudos de Charlie Chaplin e Buster Keaton.

IndieJunior

No IndieJúnior deste ano, o país em destaque vem de Leste: ‘A Polónia é uma Animação!’ e vai ainda haver um piquenique no Jardim da Biblioteca Palácio Galveias depois de uma sessão de cinema na Culturgest (mesmo ao lado) com o filme Algures entre o Céu e a Terra. Durante a tarde deste dia (11 de Maio), vai ainda haver workshops de moldagem de bairro, criação de papagaios de papel, um espaço de leitura e música ao vivo com a banda Astrus Duo.

Os vários ‘indies’ dentro do IndieLisboa

Como sempre, não faltam as competições oficiais do festival, como a Internacional de Curtas e Longas Metragens com primeiras, segundas e terceiras obras de realizadores «nunca antes mostradas publicamente em Portugal».

Um dos destaques será a estreia mundial do documentário espanhol De Los Nombres de Las Cabras (Silvia Navarro e Miguel G. Morales), inserido na Competição Internacional. No concurso Nacional, o favorito (entre sete candidatos) será Campo (Tiago Hespanha), que já ganhou o prémio principal do programa First Look no Festival de Locarno para obras em fase de pós-produção, além de ser ainda o «único filme nacional seleccionado para o Festival Cinéma du Réel», lembra a organização do Indie.

Outro dos prémios será dado na competição Novíssimos, que mostra «um conjunto de filmes de jovens cineastas que estão a dar os seus primeiros passos», alguns deles feitos em contexto escolar e outros sem «qualquer apoio»; aqui há treze curtas (seis delas em estreia absoluta) e apenas uma longa-metragem: o documentário A Casa e os Cães, de Madalena Fragoso, Margarida Meneses.

Silvestre

Outro programa a não perder será o Silvestre, onde o IndieLisboa vai mostrar «obras de jovens cineastas e autores consagrados», onde o conceito é passar «obras que rejeitem fórmulas consagradas, que despertem novas linguagens e cuja rebeldia espelhe o espírito do festival». Jonathan Vinel e Caroline Poggi são os cineastas em destaque.

O festival fica completo com mais três iniciativas: o IndieMusic (com filmes ligados à música, onde serão obrigatórios os documentários sobre João Ribas, dos Tara Perdida, e a editora Ama Romanta, que representou os Pop del Arte, por exemplo), o Director’s Cut (filmes inspirados em obras históricas do cinema) e o Boca do Inferno (sessão de filmes de terror, com uma maratona no Cinema Ideal).

Bilhetes e cinemas: onde vemos os filmes do Indie?

As sessões de cinema normais do IndieLisboa custam todas 4,5 euros e estão à venda na TicketLine e nas bilheteiras dos cinemas onde vão passar os filmes: São Jorge, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa e Culturgest.

Quem estiver a pensar ver vários filmes podem comprar cadernetas que trazem desde cinco a vinte bilhetes, com preços entre os 16 e os 55 euros. Há ainda sessões com preços especiais, onde não se pode entrar com um bilhete comum: por exemplo, a Maratona Boca do Inferno no Cinema Ideal fica por 8 euros e o Filme Concerto Mundo Animado, 6 euros.

O programa completo do IndeLisboa, para que conheça todas as sessões que vão acontecer entre 2 e 12 de Maio, pode ser visto aqui, em PDF. Todas as informações principais e extra sobre este festival estão noutro PDF, onde vai poder ler uma descrição mais detalhadas das várias iniciativas do festival. Em caso de dúvidas, pode contactar a organização pelo número 217 905 155.

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish