Será que gostos alimentares diferentes podem terminar uma relação?

De acordo com um novo estudo realizado pela Knorr, a nível global, um terço das relações entre pessoas com gostos alimentares distintos estará mesmo condenado ao fracasso.

Será que deveríamos passar a incluir a questão do prato preferido ou dos que odiamos na lista das primeiras perguntas que fazemos quando nos interessamos por alguém? Este estudo da Knorr mostra que poderá ser mesmo uma questão a abordar.

A marca revela que 78% dos inquiridos afirmam sentir-se mais atraídos por indivíduos com gostos alimentares semelhantes aos seus.

Com a participação de dez mil pessoas de doze países, um em cada três inquiridos garante que terminaria uma relação amorosa se as preferências alimentares do outro não fossem compatíveis com as suas.

O estudo mostra ainda que 29% referiu achar pouco atraente quando, num restaurante, o seu acompanhante escolhe um prato que não é do agrado da cara-metade. Por outro lado, um em cada cinco dos inquiridos confessou já ter pedido um prato que não apreciava, simplesmente para impressionar alguém.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].