©Vera Marmelo / Bons Sons

Festivais de Verão em sentidos opostos: confirmação nas ilhas e adiamento para 2022 no continente

Estamos a aproximar-nos do momento ‘sim ou sopas’ para os festivais de Verão. Para já, temos as mais recentes confirmações e adiamentos: Walk&Talk e Bons Sons.

Em 2020 foram poucos ou mesmo nenhuns os festivais com nome que aconteceram durante o Verão devido à pandemia de COVID-19; as organizações decidiram adiar tudo para 2021.

NOS Alive e Super Bock Super Rock devem mesmo acontecer nas datas marcadas, mas um novo adiamento para 2022 não está fora de hipótese.

Foi precisamente isto que aconteceu ao Bons Sons. Os responsáveis pelo festival alternativo da aldeia de Cem Soldos chegaram a dar como certa a edição em 2021, mas hoje ficou-se a saber que será adiada 2022, nas mesmas datas: de 15 a 22 de Agosto.

Passagem do Bons Sons para 2022 permite fazer obras em Cem Soldos

«Este adiamento acontece por diversas razões. Por um lado, há a consciência de que não estão reunidas as condições para realizarmos o Bons Sons da forma como o conhecemos, como o vivemos e como consideramos que um festival desta natureza e neste local deve ser. Por outro lado, há razões bem mais positivas, a longo prazo, que justificam também este adiamento», explica a organização em comunicado.

As boas razões têm que ver com a oportunidade de fazer «obras de requalificação do Largo do Rossio e do centro de Cem Soldos», ou seja, 99% do recinto do festival. O novo mote do Bons Sons passa a ser ‘Vem viver a aldeia renovada em 2022’.

Walk&Talk mostra resultado das residências artísticas nos Açores

Em sentido contrário está o Walk&Talk: o conhecido festival de artes dos Açores confirmou uma edição física para este ano: acontece entre 15 e 24 de Julho em São Miguel.

No ano em que comemora dez anos, o Walk&Talk surge «adaptado ao exercício de encontros na nova realidade», com o o slogan ‘Será por onde formos’, e a presença confirmada de «mais de vinte artistas e colectivos».

©Mariana Lopes
©Mariana Lopes | Uma performance sobre rodas – esta o resultado da residência artística de Catarina Miranda.

Durante os dez dias de festival, serão apresentados os resultados das residências artísticas que começaram em 2018, e que agora dão os primeiros frutos. Entre os locais que recebem peças de arte e performances estão o espaço Anda&Fala, o Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas ou o Teatro Micaelense.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].