O grupo Ibersol e a EDP juntaram-se para criar uma "nova" rede de postos eléctricos de carregamento em 45 restaurantes de fast-food, em Portugal.

A empresa nacional Miio e a multinacional Ionity fizeram uma parceria que vai permitir fazer o carregamento de automóveis eléctricos de uma forma mais simples.

Para já, há dois hipermercados onde vai ser possível carregar automóveis eléctricos a partir de 1 cêntimo por minuto: são os novos Continente Plug&Charge.

Dentro de vinte anos, a Uber quer ser uma plataforma de mobilidade com zero emissões.

Os supermercados Lidl anunciaram um investimento de um milhão de euros para instalar quarenta postos de carregamento para automóveis eléctrico.

Em Setembro de 2019, a Uber anunciou uma parceria com a PowerDot para acesso exclusivo a pontos de carregamento. Era o primeiro passo para esta decisão.

A Kapten alargou a sua área de cobertura a Guimarães e Braga. Além disso, a marca anunciou um objectivo para 2020: ter até 800 automóveis eléctricos.

As mais recentes declarações do ministro do ambiente sobre os automóveis a diesel causaram polémica em Portugal. Onde entram os carros eléctricos nesta história?

A Emov fez uma parceria com a marca de roupa Pompeii e, durante esta semana, vai haver pares de sapatos "escondidos" nas bagageiras dos Citroen C-Zero.

A Emov permite que se deixe o automóvel estacionado em «áreas reguladas», leia-se, em zonas de parquímetros de EMEL, mas há algumas zonas proibidas.

Para alugar um destes automóveis, os utilizadores têm de usar a app da Hertz (disponível para iOS e Android). Os preços são de 29 e 33 cêntimos por minuto para o Renault Zoe e BMW i3.

Lisboa vai passar a ter mais uma rede de car-sharing a partir de Abril. Tal como acontece com a DriveNow, que tem por trás a BMW, a Emov também é "filha" de uma marca de automóveis: a Citroën.