MyTaxi Kapten
MyTaxi Kapten

Kapten, DriveNow e MyTaxi: as novidades para 2019 que vão mudar a forma de pedir (e alugar) um automóvel

Se fosse tudo combinado não saía tão bem: Kapten e MyTaxi anunciaram, ao mesmo tempo, novidades nas suas plataformas. A DriveNow também muda.

Depois de fazer o rebranding de Chauffeur Privé para Kapten, as novidades estendem-se agora além da app que usamos para pedir um automóvel.

Tal como acontecia com a Uber, Cabify e a myTaxi, a Kapten chegou ao Google Maps. Assim, quando entrar nesta aplicação de mapas para saber as direcções para um local, além das instruções para chegar lá a pé, de automóvel ou de transportes públicos, pode também pedir um Kapten.

Para isso, basta procurar por uma morada ou local de destino no Google Maps, tocar no botão ‘Iniciar’ e, depois, no menu de topo, tocar no boneco da pessoa que tem o braço no ar e uma mala no chão.

Depois disto, em baixo, vai aparecer o símbolo da Kapten, ao lado do da myTaxi e da Uber: basta tocar aqui (aparecem logo os automóveis que estão a passar perto da nossa localização) para ter logo acesso ao valor que a viagem vai ter.

Do lado direito, em baixo, aparece também o link que permite abrir a aplicação, para concluir o pedido de um automóvel com motorista da Kapten.

Na simulação que fizemos, entre a redacção do TRENDY e o Jardim do Príncipe Real, o valor indicado foi entre 8 e 10 euros, valor esse igual ao que nos apareceu quando tocámos no ícone da myTaxi. Para o mesmo percurso, a Uber e a Cabify apresentaram preços mais altos, ambas entre 10 e 13 euros.

Kapten vs Uber

E por falar em myTaxi, a segunda novidade do dia vem desta empresa de origem alemã, e também vai influenciar a forma como acedemos ao serviço. Já sabíamos da participação da Daimler, empresa que tem a Mercedes, mas agora há uma mudança que vai catapultar a app de mobilidade para outro nível.

A Daimler (que também tem um serviço de mobilidade alternativa com Smarts, a Car2go) anunciou uma parceria com a BMW, dona da nossa conhecida DriveNow, já presente em Lisboa há quase ano e meio, com um serviço de aluguer de automóveis em regime de free floating.

Também por isto, a DriveNow passa a chamar-se Share Now, uma vez que passa a incluir numa só plataforma os BMW Série 1, i3, Smart e também alguns Mercedes. Contudo, a data da mudança de nome e a transposição para apenas uma app ainda não foi confirmada.

O objectivo da joint-venture, entre duas das maiores marcas automóveis do mundo, é criar um «player global para a mobilidade conectada e inteligente».

Em relação à myTaxi, a principal mudança será no nome: em breve, a marca vai também ter um rebranding, à semelhança da Chauffeur Privé, e passar-se-á a chamar-se Free Now.

«A mudança de nome para Free Now vai dar-nos uma maior capacidade para contribuir ainda mais para o futuro da mobilidade urbana. Com o investimento estratégico da BMW e da Daimler, vamos ter uma base ainda maior para o desenvolvimento futuro», disse Pedro Pinto, director-geral da (ainda) myTaxi Portugal.

Para já, ainda não há uma data certa para este rebranding, uma vez que a myTaxi diz apenas que a mudança de nome vai «acontecer ainda no decorrer deste ano».

Estas mudanças acontecem num momento em que a chamada Lei da Uber está prestes a entrar em vigor efectivo: a partir de dia 1 de Março, os motoristas das plataformas como a Uber ou a Kapten têm de ter aprovação num curso da IMTT para poderem conduzir automóveis de TVDE.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].