A designer Tania Gil juntou-se à marca de vinagres Cristal para criar um conjunto de jóias feitas em prata com um cristal gerado a partir deste tempero de cozinha.

A marca portuguesa de jóias Wonther vai deixar de comunicar com a hashtag #wontherwomen. A ideia é tornar-se mais inclusiva, sem associação a géneros.

A marca de venda e compra de artigos em segunda-mão anunciou uma colecção de jóias feitas com ouro de peças recicladas.

A loucura dos anos 20, um período marcado pelo crescimento económico do pós-Primeira Guerra Mundial, é a inspiração para uma colecção de joalharia com ADN nacional.

Wonther e Ownever criaram uma pulseira a partir da reutilização de ouro e prata, com bioleather. O preço pode ultrapassar os cinco mil euros.

A Wonther, uma marca de joalharia que segue o conceito da sustentabilidade, anunciou uma nova colecção de 26 peças feitas com ouro ético.

Por cada peça vendida, a Wonther vai plantar pinheiros e carvalhos no Gerês.

Segundo Ana Pina, os «traços simples estruturam uma quadrícula tridimensional imaginária» nestas novas jóias feitas em prata.

Segundo Mafalda Vidal Pinheiro, o conceito é oferecer jóias para todos os dias, práticas e acessíveis.

As autoras são formadas nas área de arquitetura, design, arte e matemática, mas encontraram a sua «linguagem criativa» na joalharia.

Actualmente, são três as linhas de joalharia desta marca portuguesa: In, Fusion e Module.

Segundo Joana Ribeiro, a sua marca pretende «desmistificar a ideia que as jóias são peças de luxo para serem usadas apenas em momentos especiais».