Ouro ético de dezoito quilates é o “ingrediente secreto” da nova colecção de jóias da Wonther

©Wonther

A Wonther, uma marca de joalharia que segue o conceito da sustentabilidade, anunciou uma nova colecção de 26 peças feitas com ouro ético.

Chama-se Golden Identity e é composta pelas letras do abecedário num formato que recria a escrita manual. Estas peças são feitas em ouro de dezoito quilates, que a Wonther diz ser «ético».

«Todo o ouro utilizado na criação das peças é certificado pelo Responsible Jewelry Council e vem de locais onde não se verificam violações de direitos humanos, como escravatura ou trabalho infantil», explica Carlota Couto, associate brand manager.

Nestas fontes de ouro, também não são praticadas ou apoiadas actividades criminosas como lavagem de dinheiro, evasão fiscal ou terrorismo» e assegura-se que a «extracção/processamento dos materiais não devem danificar o meio ambiente».

©Tim Graham / CORBIS
©Tim Graham / CORBIS | O colar de Diana com a sua inicial inspirou a Wonther.

Segundo Olga Kassian, fundadora da Wonther, a inspiração para esta nova linha de jóias veio dos «grandes ícones da moda dos anos oitenta», entre os quais a princesa Diana, que usava um colar com a inicial do seu nome: ‘D’. A tradição de usar letras do nome em jóias pode ainda ser ligado a outra monarca inglesa: Ana Bolena.

A Golden Identity está à venda no site da Wonther: cada letra custa 280 euros.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].