Crise nos ginásios em 2020: All United Sports aponta para quebras de facturação superiores a 50%

©Victor Freitas
©Victor Freitas

Os ginásios são dos negócios que mais sofreram com a pandemia de COVID-19 e a All United Sports traça agora um cenário negro para o sector, quando se fizer o balanço do ano.

A consultora All United Sports aponta para um impacto devastador da pandemia de COVID-19 na saúde financeira dos ginásios, em 2020. As previsões iniciais apontavam para um final de ano com uma ligeira retoma, depois dos meses de confinamento, mas a segunda vaga acabou por acentuar ainda mais a crise.

«Quase não se falava de uma segunda vaga e o período de confinamento implementado fazia prever que poderíamos chegar a Setembro com um futuro menos sombrio. A segunda vaga em Outubro paralisou as vendas e escalou o número de cancelamentos, exactamente nos últimos meses do ano onde estava depositada alguma esperança para reduzir prejuízos no sector», conclui a All United Sports.

Recuperação total só no final de 2022

A consultora avança com números que apontam para uma «quebra acima dos 50% no volume de negócios anual», o que corresponde a uma redução superior a 145 milhões de euros em facturação. Ainda de acordo com a All United Sports, só em Dezembro, essa quebra é de 55%.

Em 2021, a All United Sports não prevê uma retoma a 100%: entre Janeiro e Agosto está apenas prevista uma recuperação parcial, à medida que a vacina começar a ser administrada e a «redução das restrições» a ser uma realidade. Para a consultora da área do fitness só no final de 2022 é que a actividade económica dos ginásios vai voltar a níveis «pré-pandemia».

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].