Mobilidade Apps
Mobilidade Apps

Taxify entra a “matar” e promete a tarifa-base mais baixa em Lisboa

As tarifas da Cabify, MyTaxi e Uber acabam de ser postas em causa pela Taxify, a mais recente operadora de mobilidade urbana a chegar a Portugal e a Lisboa. Será que a marca tem razão quando afirma ter o preço mais baixo?

O conceito de mobilidade urbana proposta por empresas como a Cabify, MyTaxi e Uber baseia-se numa app que usamos para pedir um automóvel que nos apanhe num determinado local e nos deixe num destino.

Por esta viagem, cada empresa cobra um determinado preço, que pode variar consoante vários factores. Um deles é a disponibilidade de automóveis: quanto mais há, mais baixa é a tarifa; se houver menos carros disponíveis, acontece o inverso.

Outra é a distância percorrida: o preço desce se fizemos mais quilómetros. Normalmente, estas empresas de mobilidade anunciam que têm uma tarifa dinâmica, ou seja, que varia consoante estes factores, não sendo fixa.

Contudo, em 2016, a Cabify começou assim: tinha um preço estabelecido por quilómetro que não variava consoante a hora do dia ou a distância. Contudo, e com o desenvolvimento deste tipo de plataformas, a tarifa dinâmica começou a ser a normalidade.

E, se formos a pensar bem, até faz sentido: as viagens têm de ser mais caras nas horas de ponta porque a disponibilidade é menor. Logo, aplica-se a lei mais elementar do mercado: a da oferta e da procura.

Neste contexto, entra a Taxify. A mais recente empresa do género a chegar a Portugal (para já, apenas em Lisboa) acaba de anunciar que não vai aplicar este modelo aos seus utilizadores.

«A tarifa base da Taxify não terá tarifa dinâmica, sendo que os preços base pagos pelos utilizadores serão os mesmos independentemente do dia e da hora». Esta decisão leva-nos ao principal anúncio que a Taxify fez hoje.

Segundo, David Ferreira da Silva, o seu responsável máximo em Portugal, a Taxify «começa a operar com uma tarifa base 10% mais acessível do que o principal concorrente». Por principal concorrente não sabemos se a marca se dirige à Uber ou a Cabify, mas a verdade é que a tarifa mínima de ambas ronda um euro.

Como a Cabify tem tarifa dinâmica, há vários quatro preço-base praticados que correspondem a distâncias dentro e fora das horas de ponta (ou de pico, como lhe chama a empresa). O mais barato é o que corresponde a um trajecto superior a 11 km fora da hora de pico: precisamente 1 euro.

Esta empresa é bastante transparente quanto aos valores que cobra: actualmente, pode ver todos os preços e combinações possíveis aqui, incluindo o que vai ter de gastar por cada minuto que deixa o automóvel à sua espera.

Já no site oficial da Uber não conseguimos encontrar algo tão bem explicado como na Cabify, mas há um post na Newsroom da marca que nos permite ficar a saber que o preço mínimo também é um euro.

Como a MyTaxi é apenas uma mediadora e não estabelece preços é impossível comprar este serviço com os outros três. Aliás, a empresa deixa isso bem claro na área de ajuda do seu site: «Tenha em atenção que a mytaxi é uma mediadora, não tendo qualquer tipo de influência no preço dos táxis».

Voltando ao trio principal das empresas de ride-sharing, é fácil perceber quanto é que passa a ser a tarifa da Taxify. Ora se a promessa é fazer dez por cento menos que o preço da «principal concorrente», o valor praticado é de 90 cêntimos. Depois, seguem-se os 59 cêntimos por quilometro e os 9 por minuto.

Mais: a marca prometeu dar vários descontos de 20% em todas as viagens a qualquer momento, o que vai fazer com que uma “corrida” fique ainda mais barata. Quem é utilizador, já sabe: é ficar atento ao email e às newsletters enviadas pela empresa.

Nunca há melhor tira-teimas que o teste das plataformas no mesmo horário e com as mesmas condições para ver qual é a que nos dá um preço mais baixo. Abrimos as três apps entre as 18 e as 18:10 de hoje para vermos o preço de uma viagem entre a zona de Telheiras e o Cais do Sodré.

Este é um percurso de cerca de 13 km e que, segundo o Google Maps, demora 25 minutos a fazer, tendo em conta as características do trajecto neste momento (15 de Março, pelas 18:10). Aqui ficas os resultados dos testes feitos nas três apps.

Viagens Uber Cabify Taxify

Efectivamente, a Taxify é a que apresenta o preço mais competitivo, com um valor mínimo de 8 euros. A Uber sobe até aos 10 e a Cabify apresenta um “pequeno balúrdio”: 13,21 euros.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].