Um não-lugar, um clube quase secreto: no 46 Lisboa, a gastronomia anda de mãos dadas com a arte

©46 Lisboa
©46 Lisboa

Este é um daqueles espaços que se pode tornar um viveiro de adjectivos e trocadilhos. Há mais um: um clube de sonhadores. O 46 Lisboa é uma galeria de arte que se funde com um restaurante.

Arte e cozinha andam muitas vezes de mãos dadas e, no 46 Lisboa, vivem na mesma “casa”. Este espaço cultural e gastronómico da capital estreia agora um novo conceito, com projectos para «despertar os sentidos».

Os responsáveis pelo 46 Lisboa querem «proporcionar uma experiência sensorial e imersiva, onde se cruzam diversas formas de expressão artística, que reúnem o melhor da vida na cidade». Para isso, e além da gastronomia, a aposta está agora numa vertente mais cultural.

Residências artísticas para músicos

Aqui, as novidades são o 46 x Takeovers em que se convida à «ocupação do espaço por plataformas, pensadores, projectos e por todos os sonhadores interessados»; o 46 x Social Club, que vai dar palco a «músicos dos mais variados quadrantes»; e o 46 x Social Creators, onde o conceito é desafiar artistas a criar obras que «respeitem o pantone do bar».

A estas três linhas de acção, junta-se ainda o Green Club, que junta a «cultura plant-based com música». Esta iniciativa toma conta do 46 Lisboa aos Sábados de manhã, entre as 11 e as 15 horas, com opções vegetariana, vegan, DJ set e música ao vivo.

©46 Lisboa Cozinha
©46 Lisboa | No restaurante há várias opções disponíveis, do sushi aos tacos e ao tzatziki.

Um espaço onde se «entra e permanece»

Caracterizado pelos criadores como um ‘não-lugar’ (inspirado no livro e conceito do etnólogo e antropólogo francês Marc Augé) ou um ‘clube quase secreto’, o 46 Lisboa fica na Praça das Flores, n.º 46, em Lisboa.

«Mais do que um lugar onde se vai, o 46 Lisboa é o espaço onde se entra e permanece. É o lugar perfeito para reunir os amigos, ouvir música com o conforto e a intimidade que se teria em casa, experimentar novos sabores, degustar um bom vinho, beber um cocktail inspirado», diz Joana Cardoso, directora de arte do espaço.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].