Mercado do Gato aposta na venda de artigos usados, mas não quer ser uma nova Feira da Ladra

©Clem Onojeghuo
©Clem Onojeghuo

A organização da Feira do Mocho, conhecida por ser um ponto de venda de artigos de artesanato, lançou uma nova iniciativa: o Mercado do Gato.

A ideia é dar «várias vidas aos objectos» e roupas que temos em casa e já não usamos – no fundo, é um projecto semelhante à Feira da Bagageira, em que qualquer pessoa pode vender os seus artigos em segunda-mão.

Contudo, o conceito é um pouco mais restrito, uma vez que os criadores do Mercado do Mocho não querem que seja uma «Feira da Ladra». Por isso, há limites para o que se pode vender: artigos de Moda e Acessórios, Brinquedos, Desporto, Música e Livros são os únicos autorizados.

Incrições abertas até 2 de Julho a partir de dez euros

O objectivo segue uma tendência dos últimos tempos: «Um evento que promove a sustentabilidade e incentiva a reciclagem, bem como oferece às comunidades locais a possibilidade de vender os seus artigos ainda em bom estado».

A primeira edição do Mercado do Mocho acontece dia 4 de Julho das 9 às 13 no Jardim da Cova da Piedade, onde também vai haver a primeira Feira do Mocho de Julho, no dia 3. As inscrições estão abertas até 2 de Julho e também estão abertas a marcas – os preços começam nos dez euros.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].