Edição artística de 2021 das Fjällräven Kånken é um alerta para a poluição de plástico nos oceanos

A terceira edição da Kånken Art tem como autora a artista sueca Linn Fritz e quer chamar a atenção para o problema dos “mares de plástico.

Depois de duas edições inspiradas nas paisagens e na Natureza nórdica da Suécia (2019 e 2020), a colecção Kånken Art vira-se agora para um problema ambiental: a poluição de plástico nos oceanos.

As novas mochilas Kånken foram lançadas no Dia Mundial dos Oceanos (8 de Junho) e têm dois padrões criados pela artista sueca Linn Fritz que remetem para a «poluição de plástico vista de cima (superfície do oceano – mais claro) e de baixo (profundezas do oceano – em tons escuros)».

©Fjallraven
©Fjallraven | Os padrões escuro e claro das mochilas Kanken Art 2021 representam a poluição dos oceanos.

Estão disponíveis versões dez modelos, cinco para cada padrão: mochila de 16 litros, sling, mini, para computador portátil de 15 polegadas e estojo (gear bag) – os preços começam nos 39,95 euros.

Como aconteceu nas outras duas edições da Kånken Art, 1% das vendas desta colecção de 2021 pela Arctic Fox Initiative da Fjällräven a organizações ambientais, desta vez a Leave No Trace Center for Outdoor Ethics (Leave No Trace) e The 2 Minute Foundation.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].