Sporting Treinador ®JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Sporting: quatro treinadores melhores que Marcel Keiser para liderar os leões em 2018/19

por • 6 Novembro, 2018 • Actualidade, Desporto 🏊Comentários fechados em Sporting: quatro treinadores melhores que Marcel Keiser para liderar os leões em 2018/19488

Não há forma de o Sporting entrar nos eixos: em dezoito anos, o clube teve quase vinte treinadores. Em 2018, Peseiro já foi e Keiser parece ser o escolhido. Mas nós temos alternativas… e todas portuguesas.

Foi em 2002 que o Sporting Clube de Portugal foi campeão nacional pela última vez, o que corresponde a um “jejum” de 16 anos. Nesse ano, com o romeno Laszlo Boloni ao leme, os leões fizeram 75 pontos, mais cinco que o segundo classificado, o Boavista, que tinha sido campeão na época anterior.

Na altura, o plantel do Sporting tinha em Mário Jardel o seu grande jogador: o ponta de lança brasileiro, cujo regresso ao FC Porto tinha sido vetado nessa época pelo treinador Octávio Machado, foi o melhor marcador do campeonato, com 42 golos.

João Pinto, André Cruz, Sá Pinto, Ricardo Quaresma, Rui Jorge e Hugo Viana, Paulo Bento, Marius Niculae, César Prates e Mpenza eram outras das estrelas que levaram o Sporting ao seu 18.º e último (para já) campeonato nacional.

Em 2018, e depois da mudança atribulada de presidente, com Frederico Varandas a assumir a liderança dos leões, consequência da destituição de Bruno de Carvalho, o Sporting teve ainda Sousa Cintra como presidente interino.

O empresário, que já tinha sido presidente do clube entre 1989 e 1994, chamou José Peseiro para treinar o Sporting, ele também um repetente: tinha assumido o cargo em 2004/2005, quando levou o clube a uma final da Taça UEFA, que perdeu no Estádio José Alvalade para o CSKA Moscovo.

Depois da derrota na semana passada em casa com o Estoril, para a Taça da Liga, Peseiro foi demitido por Frederico Varandas. Este foi o culminar de três maus resultados acumulados pelo clube: 4-2 em casa do Portimomense, 1-0 com o Braga e 0-1 com o Arsenal.

Curioso é que o Sporting continua com todas as possibilidades intactas de conseguir títulos em todas as provas em que está: na Primeira Liga, inclusive, o clube leonino está terceiro lugar, com a terceira melhor defesa do campeonato, apenas a três pontos do primeiro lugar.

Nesta época, o Sporting tem apenas três derrotas em jogos oficiais (as referidas em cima) e um empate: contra o Benfica, na Luz. De resto, Peseiro levou o Sporting a dez vitórias, o que faz com que o seu despedimento tenha estado a ser considerado como precipitado por vários analistas.

Contudo, também é preciso perceber que José Peseiro não era o treinador do presidente Frederico Varandas, uma vez que o antigo responsável pela equipa clínica dos leões chegou ao cargo já com o técnico contratado pela direcção interina.

Depois de Peseiro ter sido despedido pelo presidente, surgiram vários nomes na imprensa especializada para suceder ao treinador natural de Coruche. No entanto, o nome do holandês Marcel Keiser, que actualmente está aos comandos do clube Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos, é o mais certo para assumir os destinos do Sporting.

O antigo médio, que passou como jogador (sem grande sucesso) pelo Ajax e outros clubes menores da Holanda, será muito provavelmente o novo treinador do Sporting e deve assumir o lugar depois do jogo com o Arsenal, esta quinta-feira em Londres. Até lá, mantém-se Tiago Fernandes à frente da equipa.

Marcel Keiser é conhecido pela personalidade forte, por apostar em talentos e, principalmente, por ter comandado o Ajax e o Ajax B entre 2016 e 2018.

Importante será também perceber que Keiser nunca conquistou qualquer título, quer como jogador, quer como treinador, carreira que começou em 2004, aos comandos do clube holandês UVS.

Pesando tudo isto, e apesar de reconhecermos competências técnicas ao treinador holandês, aquilo de que o Sporting precisava neste momento era um técnico que conhecesse bem o futebol português, os jogadores e conseguisse entrar, sem grandes dificuldades, na actual realidade do clube.

Marcel Keiser não é esse nome, por isso temos outros cinco treinadores que davam mais garantias ao Sporting, quer por já terem passado pelo clube com relativo sucesso, como técnicos, quer como jogadores – e todos portugueses.

Paulo Sousa

Já esteva no radar do Sporting para suceder, este ano, a Jorge Jesus, mas o contrato que tinha na China, com o Tianjin Quanjian, era milionário, o que impediu o negócio. Mas actualmente, Paulo Sousa (48 anos) está sem clube e já admitiu que um dos objectivos era treinar um grande.

O Sporting seria uma grande porta de entrada para o regresso a Portugal, desta vez como treinador, de um dos melhores jogadores da sua geração. Como técnico, Paulo Sousa foi campeão suíço com o Basel e ganhou taças nacionais pelo Vidi FC da Hungria e Maccabi Tel Aviv de Israel.

Abel Ferreira

O actual treinador do Braga seria mesmo a melhor opção para o Sporting, neste momento: é um excelente treinador, com raça e capacidade de impor liderança no balneário.

Além disso, esta jogada do Sporting permitia ainda “roubar” o treinador a um Braga que parece imparável na Liga, o que podia contribuir para o enfraquecimento do clube minhoto. E Abel até já foi treinador das equipas jovens do Sporting…

Leonardo Jardim

Indiscutivelmente, o madeirense foi um dos melhores treinadores que passaram pelo Sporting nos últimos dez anos. Contudo, ao serviço do Mónaco, Jardim teve quase sempre maus resultados em jogos oficiais: a última vitória foi a 11 de Agosto (!). Consequência: foi despedido a 11 de Outubro.

O mais estranho é que Leonardo Jardim foi campeão francês pelo Mónaco na temporada passada. O técnico nacional tem ainda duas taças gregas no currículo e um campeonato da segunda divisão ganho com o Beira-Mar, em 2010. Jardim foi, ainda, treinador do Sporting durante uma época, 2013/2014, em que o clube ficou em segundo lugar com 67 pontos.

Rui Jorge

O antigo lateral de FC Porto e Sporting, chegou ao clube leonino como jogador em 1997, num negócio que envolveu uma troca de jogadores: Peixe e Costinha foram para o Porto, com Rui Jorge e Bino a fazerem o caminho inverso.

Rui Jorge (45 anos) ficou oito anos no Sporting e foi campeão duas vezes, em 2000 e 2002, além de ter ganho mais três troféus nacionais pelos leões. Foi como treinador das camadas jovens de Portugal que Rui Jorge ganhou nome, ao liderar os Sub-21 lusos no Euro 2015, euro 2017 e nos Jogos Olímpicos de 2016.

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish