PES UEFA Champions League
PES UEFA Champions League

UEFA e Konami “apitam” para o final de uma parceria de dez anos

A UEFA anunciou hoje que a sua parceria com a produtora japonesa de videojogos vai acabar no dia da final da Liga dos Campeões, que se joga dia 26 de Maio, em Kiev.

Quando o árbitro apitar para o final do encontro entre os vencedores dos jogos Real Madrid – Bayern de Munique e Liverpool – Roma, não vai ser apenas um desafio de futebol que acaba.

Ao fim de dez anos, termina também a parceria da UEFA com a produtora de jogos Konami, o que fazia com que o jogo de futebol PES tivesse a licença da Liga dos Campeões.

«A Konami foi um aliado forte da UEFA e da Liga dos Campeões. Foi uma parceria muito cooperativa e que beneficiou ambas as partes. Queremos agradecer à Konami pelo seu tremendo empenho em apoiar as nossas competições na última década», disse Guy-Laurent Epstein, director de marketing da UEFA.

Depois de acabar o licenciamento da UEFA, o que e segue para a Konami? A reposta é evasiva: «Este ano vamo-nos focar noutras áreas, mas iremos procurar formas alternativas de continuar a explorar parcerias com a UEFA, já que a nossa relação continua a ser forte», garantiu Jonas Lygaard, um dos directores da Konami.

Por estas palavras poderíamos entender que Konami e UEFA poderiam estar a tentar chegar a acordo para licenciar outras provas: a Liga Europa, a Futsal Cup (o que tornaria PES o único jogo em muitos anos a ter futebol de salão) ou competições de futebol feminino da própria UEFA, por exemplo.

Contudo, o título do comunicado disponível em uefa.com, deixa este futuro muito distante: «Konami to end partnership with UEFA».

Durante uma década, pudemos jogar com todos os clubes que participaram na fase final da UEFA Champions League – aliás, era sempre arrepiante ouvir o hino no jogo, sempre que entrávamos neste modo de competição.

PES e FIFA: uma rivalidade com 25 anos

Ironicamente, foi desde que a UEFA e PES assinaram esta parceria que o título da Konami começou a perder em termos de qualidade e jogabilidade para o seu grande rival: FIFA, da Electronic Arts.

PES foi o grande dominador em termos de simuladores de futebol durante a primeira década dos anos dois mil e só com a versão de 2009 de FIFA é que este panorama se inverteu.

A partir de 2008, o jogo da Electronic Arts tornou-se bastante melhor em termos de jogabilidade e licenças de clubes, o que o tronou um melhor simulador de futebol.

No sentido inverso, PES não conseguiu ter os nomes verdadeiros dos clubes e os equipamentos, além de começar a ter plantéis desactualizados.

Claro que falar de preferências entre PES e FIFA é como falar da rivalidade entre clubes: haverá sempre adeptos fervorosos do jogo da Konami e os indefectíveis da Electronic Arts.

Esta é, aliás, uma luta que remonta aos anos 90, quando a Mega Drive começou em 1993 com o primeiro jogo FIFA (com a licença oficial) enquanto a Super Nintendo tinha International Superstar Soccer, o jogo que acabou por depois mudar de nome para Pro Evolution Soccer (PES) em 2001.

International Superstar Soccer

FIFA

A licença de FIFA com a Electronic Arts está, assim, de parabéns, já que em 2018 comemora as “bodas de prata” – há 25 anos que temos jogos da Electronic Arts, sem falhar.

Com a perda da licença da UEFA, a vida complica-se muito para PES e para a Konami. Depois da saída de Hideo Kojima, responsável pelos jogos Metal Gear Solid, está é mais uma má notícia para a produtora de jogos nipónica em pouco mais de doze meses.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].