Subsolo RTP Play
Subsolo RTP Play

Subsolo: nova série da RTP Play sobre jovens e a Lisboa «marginal»

No final do mês, a estação pública de televisão vai estrear uma nova série de cinco episódios, em exclusivo na plataforma online RTP Play. Cada um vai ter cinco realizadores diferentes. E não só.

O cinco vai ser mesmo o número-estrela de Subsolo, a nova série que chega ao RTP Play no final do mês de Janeiro. Esta estreia vem no seguimento de outras produções da estação pública de TV que foram parar directamente a este serviço de streaming: A Criação, Casa do Cais ou 4Play.

Desta vez, a RTP aposta num conceito em que vamos ver cinco pontos de vista sobre uma «Lisboa marginal», sublinha a televisão pública, que explica o objectivo de Subsolo: «Com esta série, os autores querem incitar a um diálogo sobre uma geração nascida depois de 1990, que cresceu a ouvir que era especial e que lhe esperavam possibilidades infinitas de sucesso».

Subsolo vai seguir um dia na vida de cinco jovens nascidos depois deste ano, «quase-adultos, mas ainda adolescentes, que, passados vinte anos de se terem achado os melhores, afinal descobrem que são só mais um, num mundo rápido e violento em que apenas numa atmosfera alternativa se consideram capazes de se distinguir».

Para conseguir isto, vamos ver episódios em que os jovens, por mais diferentes que sejam procuram o mesmo: «A autoafirmação nas redes sociais, colocando fotos de uma realidade melhorada dos seus dias e vivências».

Assim, acabam por viver com uma «visão distorcida sobre si mesmos», o que acaba por gerar «uma grande fonte de frustrações». Isto vai acabar por levar a que os protagonistas de Subsolo estejam «sempre à procura de algo mais orgânico, mais verdadeiro».

Cinco episódios, cinco jovens, cinco realizadores

Para protagonizar Subsolo, a RTP e a produtora Videolotion chamou actores menos conhecidos no panorama nacional. Aliás, esta era uma premissa obrigatória para fazer esta série, para que fosse mais credível criar um «universo alternativo de Lisboa».

Tomás Cabeleira, Francisco Belard, Jadeja Pradeepsinh, Francisca Salvado e Diana Narciso foram os escolhidos e, vão, assim dar corpo a Rúben, João, Nazim, Margarida e Júlia, respectivamente. Cada episódio vai ser visto da sua perspectiva, mas vai haver momentos em que, alguns deles, vão cruzar-se nas suas histórias, num conceito muito semelhante do filme Crash (Óscar de Melhor Filme em 2006).

Estes cinco episódios, como cinco protagonistas diferentes, passam-se num só dia, em Lisboa. Para criar estas cinco visões da mesma realidade (mas que acaba por ser a de cada um dos jovens), foram escolhidos cinco realizadores.

A Videolotion escolheu cinco realizadores para dar vida a estas cinco visões de um único dia: Tiago Simões, Joana Peralta, Victor Ferreira, Marta Ribeiro e Maria Inês Gonçalves.

Os cinco episódios vão ficar totalmente online no dia 31 de Janeiro no RTP Play, como uma duração de 12 a 14 minutos cada, tal como acontece, por exemplo, com a série Casa do Cais. Aliás, as duas séries acabam por falar quase sobre os mesmos temas e abordar os mesmos clichés: os dramas dos jovens, sexualidade, amores e desamores, alcoól, drogas e preconceitos.

A série vai ficar disponível, também, no YouTube, podendo ainda ser acompanhada nas páginas oficiais do Facebook e do Instagram. O trailer pode ser visto aqui em baixo.


Veja o vídeo no canal de YouTube do TRENDY.


Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].