Idealista revela ruas onde estão, em média, as casas mais caras de Portugal

por • 6 Setembro, 2017 • LuxosComentários fechados em Idealista revela ruas onde estão, em média, as casas mais caras de Portugal2173

O site de imobiliário Idealista partilhou um ranking onde lista as ruas com os preços médios das casas mais caras de Portugal. Lisboa, Cascais, Algarve e Porto dominam.

O site de compra e venda imobiliária chegou a uma conclusão, para começar: «Os preços das casas em Portugal dispararam. No primeiro trimestre do ano, aumentaram 7,9% face ao mesmo período do ano passado».

E, como é normal, são as habitações de luxo que estão em grande destaque e que, naturalmente, fazem subir o preço médio dos imóveis listados no Idealista.

Assim, a rua com o preço médio mais elevado por imóvel é a Rua do Salitre, em Lisboa. Esta artéria que vai desde o Rato até à Avenida da Liberdade é a zona «com
com a habitação à venda mais cara em Portugal», diz o Idealista.

Nesta rua, o preço médio pedido pelos proprietários é de média 2,92 milhões de euros. Em segundo lugar fica a Avenida Brasil, em Cascais, onde o valor é de quase 2,48 milhões de euros. O “pódio” lugar fecha com o Loteamento Fonte Santa (Quarteira) com um preço médio de 2,45 milhões de euros. Aqui fica a lista completa:

Rua do Salitre (Lisboa): 2,92 milhões de euros
Avenida Brasil (Cascais): 2,48 milhões de euros
Loteamento Fonte Santa (Quarteira): 2,45 milhões de euros
Rua de Sobreiras (Porto): 2,01 milhões de euros
Rua Fernão Mendes Pinto (Belém): 1,94 milhões de euros
Rua a Gazeta d’Oeiras (Oeiras): 1,77 milhões de euros
Rua Dom Afonso Henriques (Estoril): 1,73 milhões de euros
Rua António Saldanha (Lisboa): 1,68 milhões de euros
Avenida Marechal Gomes da Costa (Porto): 1,65 milhões de euros
Urbanização Vale do Lobo (Loulé): 1,57 milhões de euros

AMOSTRA DO ESTUDO DO IDEALISTA

De referir que para a elaboração deste estudo o idealista analisou o preço médio absoluto de apartamentos e moradias anunciados na mesma rua. Para evitar distorções nos dados, apenas se consideraram as ruas que contavam com um mínimo de dez anúncios.

«No entanto, este estudo apenas mostra os preços médios das ruas, o que não significa que sejam as casas mais caras de cada mercado», ressalva o site.