Estamos a comprar mais equipamento desportivo, diz o Cetelem

Segundo o estudo Observador Cetelem 2017, o consumo de material e equipamento desportivo está a aumentar. Em relação a 2016, a subida é de seis pontos percentuais.

Os portugueses estão, em definitivo, a render-se à prática de exercício físico e ao fitness. O banco de crédito particular Cetelem mostra isso mesmo no seu estudo Observador 2017.

Se em 2016 apenas 8% dos inquiridos assumirem que iriam gastar «parte do seu orçamento para comprar equipamento e material de desporto», em 2017 essa percentagem passa para os 14%.

«O orçamento médio reservado pelas famílias para esta categoria em 2017 é de 170 euros», conclui o mesmo estudo; em 2016, esse valor era de 157 euros, em média.

A isto acresce sempre o valor pago pela frequentação de um ginásio ou de outro espaço para fazer desporto, sempre que haja essa obrigação.

«Medidas e políticas que, ao longo do tempo, têm vindo a incentivar a actividade física e a promover um maior cuidado alimentar podem estar entre as principais razões que justificam esta tendência», conclui Pedro Camarinha, director de distribuição do Cetelem.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].