Filme realizado por Angelina Jolie apresentado no Camboja (vídeo)

Desde que gravou Tomb Raider em 2002, que Angelina Jolie tem um carinho especial pelo país asiático; aliás, a actriz e realizadora tem nacionalidade cambojana desde 2005.

A história de Angelina Jolie com o Camboja tem quase quinze anos. A actriz teve conhecimento da realidade dramática deste país em 2002 e desde então já foi responsável por algumas missões humanitárias da ONU neste território.

Um dos seus filhos adoptivos é cambojano, Maddox Jolie-Pitt (produtor executivo deste novo filme), e Angelina continua muito próxima do governo e da monarquia desta nação, onde criou até uma reserva de vida selvagem.

Foi sem surpresas, por isso, que Angelina Jolie anunciou que ia fazer um filme no Camboja há dois anos. O tema é sensível para a maioria da população: «É um filme que homenageia tanto quem faleceu durante o regime dos Khmers Vermelhos como os sobreviventes», diz a Netflix, que se juntou a Jolie nesta “aventura”.

Esta semana, a produção do filme (que tinha começado em Novembro de 2015) chegou ao fim e o resultado foi apresentado pela própria Angelina Jolie no Terraço dos Elefantes do Templo Angkor Wat, na cidade de Siem Reap.

O lançamento do filme First They Killed My Father (Primeiro Mataram o Meu Pai) contou com a presença do Rei Norodom Sihamoni e da Rainha-Mãe Norodom Monineath, assim como de Angelina Jolie, da activista e escritora Loung Ung e do realizador Rithy Panh.

Foram as memórias de Loung Ung que inspiraram Angelina Jolie a adaptar esta história para este original Netflix. O filme segue uma narrativa centrada na sua perspetiva, desde os cinco anos de idade, altura em que os Khmers Vermelhos subiram ao poder, até aos seus nove anos.

«O filme mostra o indomável espírito e devoção de Loung e da sua família enquanto lutam para se manterem unidos», lembra a Netflix.


Veja o vídeo no canal de YouTube do TRENDY.


Loung Ung escreveu First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers e publicou o livro pela primeira vez em 2000. «Depois de ler as memórias de Ung há mais de uma década, Angelina entrou em contacto com ela e, desde então estabeleceram uma amizade», diz a produtora.

O elenco de First They Killed My Father é totalmente cambojano e contou com cerca de 3500 actores. Entre a equipa de produção estiveram alguns nomes sonantes de Hollywood: Adam Somner (Bridge of Spies) e Charles Schissel (The Prestige) foram os produtores executivos. O director de fotografia foi Anthony Dod Mantle, que ganhou um Óscar pelo seu trabalho em Quem Quer Ser Bilionário?

De momento, ainda não há data de estreia de First They Killed My Father na Netflix Portugal.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].