Cafés Nespresso aventuram-se em duas novas “latitudes”: Aged Sumatra e Papua New Guinea

©Denise Jans
©Denise Jans

A gama Master Origins da Nespresso, que tem versões de café mais exóticas, foi alargada com duas novas edições de cápsulas vindas das ilhas de Sumatra e Papua Nova Guiné.

A India, Colombia, Nicaragua ou Ethiopia, juntam-se agora mais dois “destinos” no mapa de café da Nespresso. A marca lançou as edições especiais e limitadas Papua New Guinea e Aged Sumatra, que também se juntam ao café biológico e sazonal Kahawa ya Congo Organic, neste momento o mais caro da marca: 6,30 euros.

O Papua New Guinea é, segundo a Nespresso, um café «frutado com notas de compota de morango»; na escala de intensidade, é um 6/14. Já o Aged Sumatra (um relançamento, dado que já tinha feito parte do portfólio da marca), é considerado «suave a amadeirado», com intensidade 7.

©Nespresso
©Nespresso

A sleeve de Papua New Guinea custa 5,10 cêntimos (51 cêntimos por cápsula) e a de Aged Sumatra é dez cêntimos mais cara, o que faz com que se torne agora o segundo café mais caro da Nespresso: 6,10 euros. Ambos são 100% arábica e têm ainda Certificação Q Coffee, que atesta a «qualidade superior de café desde a fazenda até à torrefação».

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].