O novo videoclip de Conan Osíris, Ana Moura e Branko homenageia quem «viveu a escuridão que 2020 trouxe»

Não é uma nova música, mas sim um novo videclip de Vinte Vinte, o tema que Conan Osíris, Ana Moura e Branko lançaram há cerca de um ano. Aqui, faz-se o enterro de… 2020.

A 3 de Janeiro de 2020, Conan Osíris, Ana Moura e Branko lançaram uma música ainda sem saber que o ano iria ficar marcado pela pandemia de COVID-19. No entanto, a letra tinha algo de premonitório: «O vinte que eu quero / Não é o tempo que eu espero».

Um ano depois, Vinte Vinte, que era uma letra de amor e saudade, uma mistura entre o fado de Ana Moura, a batida de Branko e o nonsense de Osíris, transforma-se em Vinte Vinte (Pranto) – é o enterro da esperança num ano melhor ou a despedida de um ano que queremos esquecer de forma rápida, para começar uma nova vida?

Aqui, o passar da ponte 25 de Abril, a viagem que dominava o videoclip do Vinte Vinte de 2020 (pudemos vê-lo no concerto de aniversário de Branko, no Tivoli), dá lugar a uma marcha fúnebre que percorre as ruas de Alfama – Ana Moura, vestida de preto, em pranto; Osíris, de branco, como um ponto de luz entre o luto do cortejo; ao longe, Branko como espectador.

«Uma homenagem a todas as pessoas que viveram a escuridão que 2020 trouxe. Na esperança de dias melhores, pedimos aos céus que nos devolvam a luz, o ar e o amor que o passado nos tirou. Enterremos o que passou, para ver o nascer que virá».

A mensagem que aparece no início do novo videoclip Vinte Vinte (Pranto) de Conan Osíris, Ana Moura e Branko diz tudo – pode ver e ouvir aqui.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].