Respironics E30 ©Philips
Respironics E30 ©Philips

Philips desenvolve ventilador para pacientes de COVID-19 com a ajuda de um médico português

O Respironics E30 é a resposta da Philips à «escassez de equipamentos de ventilação necessários para os pacientes mais graves». O projecto teve participação do médico português João Carlos Winck.

A marca diz que este ventilador aparece para colmatar a «procura sem precedentes por este tipo de equipamentos médicos». O Respironics E30 foi, segundo a Philips, «concebido por uma equipa de engenheiros e médicos com grande experiência na área dos cuidados respiratórios».

Entre eles está João Carlos Winck, do Departamento de Medicina da Universidade do Porto e membro da Sociedade Europeia de Medicina Respiratória (ERS). O médico «participou activamente no desenvolvimento» deste ventilador da Philips, sublinha a marca.

Respironics E30 está aprovado pelo Infarmed em Portugal

O Respironics E30 foi criado a pensar no tratamento de «pacientes com insuficiência respiratória aguda» e a Philips diz que pode ser «instalado rapidamente». Outra das vantagens, segundo a marca, será a facilidade de uso: «Profissionais de saúde com diferentes graus de conhecimento em ventilação mecânica podem tratar e monitorizar os pacientes».

Este novo equipamento da Philips pode ser usado em vários cenários, como na «ventilação invasiva e não invasiva», podendo ainda ser usado para «fornecer oxigénio suplementar para tratar a hipoxemia» que a COVID-19 provoca.

Já aprovado pelo Infarmed (em Portugal), mas também pela FDA (Estados Unidos), e AEMPS (Espanha), o Respironics E30 pode ser produzido por um volume correspondente a quinze mil unidades por mês.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].