Anda a ouvir mal? O problema pode estar naquilo que come

O Dia Mundial da Alimentação assinala-se a 16 de Outubro e é a altura em que muita gente se lembra de que, se calhar, não anda a comer assim tão bem.

Este dia deveria ser como o Natal: sempre que um homem quer. Ou melhor: todos os dias deviam ser Dia da Alimentação, pois não é apenas uma vez por ano ou quando o Verão está a chegar que nos temos de lembrar de parar de comer porcarias.

A nossa grande preocupação costuma ser a gordura, os “pneus”, o coração ou o fígado, mas há outras coisas no corpo humano além destes focos mais “normais” quando falamos em dietas.

Um deles é a audição. Ouviu bem? Se calhar leu melhor: essa cenoura que anda a trincar todos os dias faz maravilhas, mas dificilmente lhe vai melhorar a visão: é mais um dos mitos que nos disseram toda a vida.

Mas voltando à audição: sabia que a alimentação influencia mesmo a nossa capacidade de ouvir? Quem nos alertou para isto foi a audiologista Alexandra Marinho, que também nos revelou quais são os alimentos certos para termos aquele ouvido de tísico, de que tanto falava a nossa avó.

Falar em substâncias que fazem bem ao corpo é falar em vitaminas. E no que aos ouvidos diz respeito, é na C que se tem de concentrar: já sabe, tudo o que é cítrico, vai ajudá-lo a ouvir melhor, por isso, inclua limões, laranjas e limas na sua dieta. E, além disso, como vem aí a época as constipações e gripes, um reforço de vitamina C vem mesmo a calhar.

vitamina-c
Boa fruta para ouvir melhor os seus “atchins”!

«Na verdade, certas vitaminas ajudam a aliviar a perda auditiva, possibilitam a correção de deficiências nutricionais, aumentam a circulação sanguínea, melhoram o sistema imunológico e trabalham no combate à infecção», confirma Alexandra Marinho ao TRENDY.

O outro composto que vai ter de incluir a sério na alimentação é o potássio, uma vez que este é o elemento químico responsável pelas transmissões de impulsos nervosos, por isso «é importante privilegiar a ingestão de frutas como: damasco, banana, melão e laranja, além de batata, espinafre, feijão e leite», diz a especialista em audiologia.

À receita tem ainda de juntar alimentos ricos em ácido fólico, uma vez que este é um composto «vital para a produção de DNA e novas células do corpo». Os cereais, fígado, espinafres, espargos e brócolos «são poderosos alimentos para prevenir a perda auditiva causada pelo envelhecimento», esclarece Alexandra.

carne
Nem pense nisso…

E agora as más notícias. Adora bifes, enchidos, queijos e todas aquelas coisas boas e salgadas que vão vem com um copo de vinho tinto? Pois, o melhor é fazer um intervalo no consumo destes alimentos: «Uma dieta rica em gordura animal está ligada a altos níveis de colesterol no sangue, o que pode aumentar o risco de obstrução arterial».

E o que é que isto tem que ver com os ouvidos? Além de fazer um figurão perante o seu cardiologista, vai fazer com que consiga «reduzir a retenção de fluidos nos ouvidos», explica a audiologista.

O truque aqui, tal como noutras situações em que se pedem conselhos de nutrição, é seguir a «dieta mediterrânica», já que esta inclui hábitos alimentares que ajudam a «manter os níveis adequados de nutrientes no organismo». Peixe, vegetais, azeite, ervas aromáticas, fruta… bem, já sabe, é o costume. Ouviu bem?

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].