A Barbie ganhou medidas mais realistas

A Barbie sempre foi associada à ideia de feminilidade e considerada como um padrão de beleza. Mas, com a mudança dos tempos, a boneca que já ultrapassou a marca dos 57 anos começou a ser alvo de críticas. Ainda que muitos considerem que a resposta da Mattel poderia ter surgido mais cedo, a empresa apresenta agora maior diversidade, com o lançamento de três tipos de corpo para a boneca.

Uma é mais alta, outra mais baixa e há ainda uma Barbie curvilínea, que se juntam agora à Barbie original. Esta mudança naquela que até há alguns anos era a boneca mais vendida no mundo valeu até a capa da revista Time, em que é explicada de que forma se processa a mudança numa empresa de brinquedos que precisa de entrar nos tempos modernos.

Evelyn Mazzocco, a responsável pela marca Barbie, explicou à Time que uma das principais razões para esta introdução de três novos tipos de corpo na Barbie foi fortemente impulsionada pela queda nas vendas. Em 2013, a Barbie foi ultrapassada pela boneca Elsa, do filme de animação Frozen. Em 2014, a Mattel via a Lego tornar-se na empresa de brinquedos com maior número de vendas, muito devido à introdução de kits que prenderam a atenção das meninas.

A Barbie era há vários anos acusada de não ter medidas realistas: afinal, a cintura fina, pernas que não acabavam e um corpo perfeito não são propriamente representativos de grande parte da população mundial. Muitos pais achavam até que a Barbie criava uma imagem corporal pouco positiva em muitas meninas.

Em 2014, foi então colocada uma pergunta aos designers da Mattel: se pudessem criar uma Barbie livremente, como seria? Mantido em segredo durante dois anos e apelidado de Project Dawn, deu origem aos três novos tipos de corpo, que começaram hoje a ser vendidos no site da Barbie.

À semelhança daquilo que acontece na vida real, as roupas da Barbie deixam de ser tamanho único, com muitas das indumentárias da Barbie original a não servir ao modelo com curvas, por exemplo.

Barbie novo corpo

Cátia Rocha
Sonha ter um walk in closet desde pequenina, mas enquanto isso não acontece, contenta-se a coleccionar maquilhagem e anéis. Não consegue resistir a uma boa sobremesa e a um belo livro. Passa a vida a ouvir música e tem uma lista de todos os concertos que já viu.