Startup portuguesa quer «enraizar» a cultura das hortas urbanas e verticais em Portugal (vídeo)

Chama-se Raiz, nasceu em Agosto de 2021 e tem como objectivo democratizar a criação e o acesso a hortas urbanas e verticais, em espaços inutilizados.

As cidades nacionais têm, de uma forma geral, várias hortas urbanas, um conceito que se tornou popular nas últimas duas décadas. Agora, a startup Raiz quer levar este recurso a outro nível

Crowdfunding de 26 mil euros

O objectivo da empresa é criar uma primeira horta vertical em Lisboa: a Raiz quer transformar um contentor abandonado numa Concept Farm. Para isso, os responsáveis decidiram criar uma campanha de crowdfunding que quer angariar 26 mil euros.

A contribuição mínima é de dez euros, o que permite fazer uma visita virtual a esta ‘quinta-protótipo’ e ter o nome gravado no local. Entre as outras contrapartidas estão o fornecimento de vegetais durante quatro meses (100 euros) ou a participação num jantar de Primavera (1000 euros).

Hortas verticais da Raiz não usam pesticidas

Esta Concept Farm, que fica no espaço do Arroz Estúdios (Beato) terá, segundo a Raiz, a capacidade de produzir «9600 plantas por ano», entre «manjericão vermelho e verde, couve pak choi, agrião ervilha, couve, amaranto, brócolos e girassol».

A Raiz diz ainda que a tecnologia que vai aplicar às suas hortas verticais permitem «reduzir em metade» o recurso a fertilizantes, usar «doze vezes menos água, menos 95% de terra» deixar de forma total os pesticidas.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].