#CulturaParaTodos: Fnac quer livros a serem bens essenciais e lança um desafio artístico

©Blaz Photo

Numa altura em que a venda de livros volta a ser permitida, a Fnac alerta para as dificuldades do sector livreiro e lança um desafio artístico.

Chama-se #CulturaParaTodos e é o novo «movimento de sensibilização» da Fnac que quer chamar a atenção para a «crise» que afecta as livrarias, que continuam de «portas fechadas».

A ideia seria fazer com que o livro fosse considerado um «bem essencial», diz Inês Condeço, directora de comunicação da Fnac Portugal: «Este é o momento de darmos as mãos e não de sermos concorrentes, porque todos lutamos por um objectivo comum: o direito à cultura e à sua sobrevivência».

Fernando Pessoa recriado por Aka Corleone

Para chamar a atenção sobre esta crise na cultura, a Fnac lançou também um desafio artístico em que o objectivo é convidar à partilha de trabalhos nas redes sociais com a hashtag #CulturaParaTodos.

Os melhores serão escolhidos para fazer parte de uma exposição
«dedicada ao direito à cultura e à sobrevivência dos livros» que ficará patente no fórum da Fnac Chiado.

©Aka Corleone
©Aka Corleone

A curadoria será de Aka Corleone, um artista que a marca convidou para criar a imagem desta campanha (foto em cima), uma ilustração inspirada em Fernando Pessoa, com o poeta a soltar uma lágrima.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].