Estado de Calamidade ©Elizeu Dias
Estado de Calamidade ©Elizeu Dias

Estado de Calamidade, as praias e o surf: actividade desportiva autorizada a partir de 4 de Maio

Era uma das restrições que se previa que fosse levantada com o fim do terceiro Estado de Emergência e acabou mesmo por acontecer. Volta a ser permitido praticar surf em Maio.

As praias vão voltar a abrir ao público no dia 4 de Maio, ainda que com algumas limitações. Mas também há excepções: uma delas é «a prática de actividades desportivas náuticas», sublinhou ontem o primeiro-ministro, na declaração ao País sobre as regras do novo Estado de Calamidade.

O surf foi, desde o decreto do primeiro Estado de Emergência, um tema que dividiu opiniões: havia quem defendia que não se podia entrar na água para praticar este desporto e outros que não viam qualquer impedimento, pondo-o ao mesmo nível que a prática de exercício físico de curta duração, na rua.

Surf está autorizado, mas há regras que devem ser cumpridas

A verdade é que os surfistas foram respeitando a ideia de que seria melhor ficar em casa durante o Estado de Emergência, até porque as várias capitanias e autarquias nacionais interditaram as praias, impedindo o acesso.

Mas, como o fim do Estado de Emergência e início do Estado de Calamidade, a situação muda e a prática de surf, em todas as suas vertentes, passa a ser permitida aos olhos da lei.

Contudo, há algumas regras que os surfistas devem cumprir durante as suas deslocações e sessões, e que fazem parte de uma proposta apresentada pela Federação Portuguesa de Surf, a Associação Nacional de Surfistas e a World Surf League ao Governo a 23 de Abril – pode conhecê-las aqui, num artigo que o TRENDY fez sobre o regresso do surf.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].