Academia Portuguesa de Cinema anuncia nomeados dos Prémios Sophia 2017

Numa cerimónia realizada ontem na Cinemateca Portuguesa foram revelados os filmes que vão concorrer aos Prémios Sophia 2017.

Coube a Albano Jerónimo e Soraia Chaves, actores e membros da Academia Portuguesa de Cinema, anunciar os nomeados que vão competir pelos Prémios Sophia 2017. Os vencedores serão conhecidos a 22 de Março, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Além da revelação dos nomeados, a Academia Portuguesa de Cinema deu ainda a indicação de quem vai ganhar os Prémios Carreira 2017: a actriz Adelaide João e o director de fotografia Elso Roque. O Prémio Mérito e Excelência será atribuído a Ruy de Carvalho.

Este ano, há um recordista de nomeações: Cinzento e Negro foi indicado catorze vezes para um Prémio Sophia, incluindo Melhor Filme, Melhor Actriz e, inclusive, duas nomeações para Melhor Actor Principal.


Melhor Filme
Cartas da Guerra (Ivo Ferreira)
Cinzento e Negro (Luís Filipe Rocha)
A Mãe é Que Sabe (Nuno Rocha)
Estive em Lisboa e Lembrei de Você (José Barahona)


Melhor Documentário em Longa-Metragem
Mudar de Vida (Nelson Guerreiro, Pedro Fidalgo)
O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu (João Botelho)
A Toca do Lobo (Catarina Mourão)
Rio Corgo de Sérgio da Costa (Maya Kosa)


Melhor Banda Sonora Original
Mário Laginha (Cinzento e Negro)
Filipe Raposo (Refrigerantes e Canções de Amor)
The Red Trio e Norberto Lobo (Aqui, em Lisboa)
Nuno Malô (A Canção de Lisboa)


Melhor Canção Original
Refrigerantes e Canções de Amor (Sérgio Godinho e Filipe Raposo)
Sobe o Calor (Sérgio Godinho e Filipe Raposo)
Balada para uma Dinossaura (João Tempera)
Será Amor (Miguel Araújo)


Melhor Actriz Principal
Joana Bárcia (Cinzento e Negro)
Margarida Vila-Nova (Cartas da Guerra)
Ivana Baquero (Gelo)
Ana Padrão (Jogo de Damas)


Melhor Actor Principal
Miguel Borges (Cinzento e Negro)
Filipe Duarte (Cinzento e Negro)
Miguel Nunes (Cartas da Guerra)
Albano Jerónimo (Gelo)


Melhor Actor Secundário
Carlos Santos (A Mãe é que Sabe)
Adriano Carvalho (A Mãe é que Sabe)
Adriano Luz (John From)
Ivo Canelas (Gelo)


Melhor Fotografia
André Szankowski (Cinzento e Negro)
João Ribeiro (Cartas da Guerra)
Luís Branquinho (A Mãe é que Sabe)
Rui Poças (O Ornitólogo)


Melhor Argumento Original
Luís Filipe Rocha (Cinzento e Negro)
Luís Galvão Teles, Gonçalo Galvão Teles e Luís Diogo (Gelo)
Mário Botequilha, José Fonseca e Costa (Axilas)
Roberto Pereira, Nuno Rocha (A Mãe é que Sabe)


Melhor Actriz Secundária
Inês Castel-Branco (Gelo)
Camila Amado (Cinzento e Negro)
Manuela Maria (A Mãe é que Sabe)
Dalila Carmo (A Mãe é que Sabe)


Prémio Sophia Estudante
Marvin’s Island (António Vieira, Filipa Burmester, Pedro Oliveira)
A Instalação do Medo (Ricardo Leite)
Post-Mortem (Belmiro Ribeiro)
Pronto, era Assim (Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues)


Melhor Direcção Artística
Nuno G. Mello (Cartas da Guerra)
Isabel Branco (Cinzento e Negro)
Ana Paula Rocha e João Martins (Gelo)
Joana Cardoso (A Mãe é que Sabe)


Melhor Som
Ricardo Leal (Cartas da Guerra)
Carlos Alberto Lopes, Elsa Ferreira (Cinzento e Negro)
Olivier Blanc, Branko Neskov (Gelo)
Pedro Melo,Tiago Raposinho e Tiago Matos (A Mãe é que Sabe)


Melhor Realizador
Ivo M. Ferreira (Cartas da Guerra)
Luís Filipe Rocha (Cinzento e Negro)
José Fonseca e Costa (Axilas)
Nuno Rocha (A Mãe é que Sabe)


Melhor Guarda Roupa
Lucha d’Orey (Cartas da Guerra)
Isabel Branco (Cinzento e Negro)
Ana Paula Rocha e Sílvia Siopa (Gelo)
Mia Lourenço (A Mãe é que Sabe)


Melhor Maquilhagem e Cabelos
Nuno Esteves (Cartas da Guerra)
Sandra Pinto (Cinzento e Negro)
Emanuelle Fèvre, Iracema Machado (Gelo)
Ana Lorena, Natália Bogalho (Axilas)


Melhor Montagem
Sandro Aguilar (Cartas da Guerra)
António Pérez Reina (Cinzento e Negro)
Pedro Ribeiro (Gelo)
Paula Miranda (A Mãe é que Sabe)


Melhor Argumento Adaptado
Ivo M. Ferreira, Edgar Medina (Cartas da Guerra)
Hugo Vieira da Silva (Posto-Avançado do Progresso)
José Barahona (Estive em Lisboa e Lembrei de Você)
Julia Roy (Até Nunca)


Melhor Documentário em Curta-Metragem
A Vossa Terra (João Mário Grilo)
Balada de um Batráquio (Leonor Teles)
António, Lindo António (Ana Maria Gomes)
Portugueses do Soho (Ana Ventura Miranda)


Melhor Curta-Metragem de Ficção
Menina (Simão Cayatte)
Bastien (Welket Bungué)
A Brief History Of Princess X (Gabriel Abrantes)
Campo De Víboras (Cristèle Alves Meira)


Curta-Metragem de Animação
Estilhaços (José Miguel Ribeiro)
Fim De Linha (Paulo D’Alva)
Última Chamada (Sara Barbas)
A Casa Ou Máquina De Habitar (Catarina Romano)

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].