Crime na Casa Museu: está encontrado o sucessor da Casa Assombrada!

Depois do sucesso de Casa Assombrada, que esteve em cena mais de um ano, com sessões continuamente esgotadas, o Teatro Reflexo apresenta o seu novo projeto: Crime na Casa Museu.

Com estreia marcada para o dia 7 de outubro, às 21 horas , este novo espetáculo estará em cena todas as Sextas e Sábados, durante os meses de Outubro e Novembro na Casa Museu Leal da Câmara, na Rinchoa, em Sintra.

Criado por Michel Simeão (que já tinha sido o mentor da Casa Assombrada), o Crime na Casa Museu, «distancia-se da linguagem do terror do projeto Casa Assombrada, dando lugar a um universo influenciado pelo cinema noir e pelas intricadas tramas eternizadas por Agatha Christie», diz o actor.

Assim, o grande objectivo desta espécie de ‘escape game/cluedo’ é encontrar o culpado por um assassinato num casa habitada por sete pessoas. O público será, assim, uma espécie de «Hercule Poirot», compara Michel Simeão.

Em 2008 e 2009, o Teatro Reflexo, a convite da Câmara Municipal de Sintra, já tinha desenvolveu este conceito de ‘Cluedo Teatral’, que na altura era «desconhecido em Portugal». Neste tipo de teatro, interativo e imersivo, convida-se o público a interagir directamente com a acção, «envolvendo-o num jogo de detectives».

Com o final do Projecto Casa Assombrada, sobre então ao palco o Crime na Casa Museu, cuja estreia está marcada para dia 7 de outubro de 2016 às 21 horas. na Casa Museu Leal da Câmara.

SINOPSE DO CRIME NA CASA MUSEU
O espectador é convidado a entrar numa espécie de Cluedo, onde irá assistir de forma imersa (dentro do próprio espaço cénico) a um convívio entre amigos que decorre naquela que foi a casa do Mestre Leal da Câmara, figura incontornável do meio artístico português do século passado, com especial enfoque no seu trabalho de caricaturas.

Tanto Leal da Câmara, como a sua esposa e amigos, encontram-se reunidos nesta animada tertúlia composta por artistas liberais dos anos vinte. Porém durante o decorrer da noite, algo grotesco irá acontecer: uma daquelas sete personagens será alvo de um homicídio a sangue a frio.

A partir daqui, o público é envolvido num verdadeiro jogo de detectives, onde de mão dada com o espírito da vítima, terá de descobrir o autor ou autora de tamanha atrocidade.

Para isso, serão convidados a jogar jogos de sorte ou azar, perícia e observação, para terem acesso a cenas secretas, retalhos de uma noite onde os fantasmas de cada um andaram à solta, falando em surdina por entre paredes que têm ouvidos, juntando as peças de um quebra cabeças que apenas os mais astutos conseguirão decifrar.

Será dada ainda a oportunidade ao público da confrontação directa com as personagens, que acabarão por ser julgadas por cada um dos presentes.

ELENCO
Adriana Moniz, Jan Gomes, Joana Sapinho, Luísa Fidalgo, Michel Simeão, Miguel Mateus e Rita Ruaz

MORADA
Casa Museu Leal da Câmara
Calçada da Rinchoa, 67
2635 Sintra

LOTAÇÃO
25 pessoas por turno

RESERVAS
[email protected]

INFORMAÇÕES
214 213 188 / 967 568 206

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].