Telescola ©RTP
Telescola ©RTP

RTP confirma: «Telescola veio para ficar» porque é «uma das componentes fundamentais do serviço público»

A confirmação foi dada pelo presidente executivo da RTP durante o webinar Smart Portugal e vai ao encontro dos pedidos do público. A Telescola vai mesmo continuar.

«Informar, entreter e educar. Educar é uma das componentes fundamentais do serviço público», disse Gonçalo Reis, presidente executivo da RTP durante um evento online que debatia os desafios do ensino no pós-pandemia.

A continuação das emissões da Telescola era uma possibilidade que tem vindo a ganhar força devido ao sucesso que estas aulas via TV estão a ter: as audiências da RTP Memória tem superado as dos programas da manhã dos generalistas e, segundo Gonçalo Reis, tem havido aulas com 500 mil espectadores – e nem todos são alunos.

Conteúdos da Telescola são válido «daqui a um ano»

«Temos relatos de avós que vêm a telescola para aprenderem e terem conversa com os netos, é um espaço de comunidade», disse presidente executivo da RTP durante o webinar Smart Portugal, organizado pela Universidade Nova.

As declarações de Carlos Reis não deixam dúvidas: «Os méritos do estudo em casa são méritos permanentes, válidos daqui a seis meses, daqui a um ano. Este é um serviço que veio para ficar». Contudo, não foi confirmado de as aulas da Telescola vão continua na RTP Memória ou se está em avaliação outro formato.

RTP Play aumentou quase 100% em tráfego devido à Telescola

Estas aulas estão também disponíveis online, na plataforma RTP Play (o número de visitantes semanais «passou de 1 milhão para 1,8», disse Gonçalo Reis): esta pode também ser, no futuro, a “casa” exclusiva da Telescola; sobre a gravação de mais aulas para o próximo ano lectivo, também não foram dados pormenores.

As emissões da Telescola começaram no dia 20 de Abril, como aulas entre as 9 e as 18 horas, do primeiro ao nono ano de escolaridade.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].