Nuno Lopes e Marco Martins voltam ao cinema em 2017 (vídeo)

Actor e realizador que já tinham trabalhados juntos em Alice têm um novo projecto cinematográfico que vai chegar às salas de cinema nacionais em Março.

O actor Nuno Lopes e o realizador Marco Martins vão voltar a forma dupla num filme que vai fazer um retrato de um Portugal afectado pelas acções da troika. «A vontade de fazer São Jorge surgiu da urgência de documentar um período durante o qual as condições de vida dos portugueses se deterioravam de dia para dia», conta Marco Martins.

Neste filme, Jorge (Nuno Lopes) vai encarnar um lutador de boxe, desempregado de longa duração, que vive num bairro social da Margem Sul de Lisboa. De acordo com o realizador, esta personagem é «um touro com a incapacidade de controlar o que se passa».

Jorge vai ter de “lutar” contra várias adversidades num filme que será negro, muito focado nos dramas sociais e onde vão participar vários não-actores. «À medida que fui fazendo a pesquisa, cheguei à conclusão de que era impossível a maioria das personagens serem representadas por profissionais, nenhum actor iria fazer aquilo que eu via. E portanto tinha de utilizá-los – as pessoas do bairro da Bela Vista, por exemplo», conta Marco Martins.

A ideia também acabou por ganhar força depois de Nuno Lopes ter contado ao realizador que queria fazer um filme sobre boxe. O ângulo para contar as histórias foi encontrado depois de Mariana Fonseca, que trabalho com Marco na pesquisa para o filme, ter visitado vários ginásios de boxe em Lisboa e falado com alguns praticantes desta modalidade.

«Descobrimos que a maior parte deles tinha antes trabalhado como segurança, na noite, porque o boxe em Portugal é amador, eventualmente recebem por um combate ou outro. Devido à crise, essas pessoas estavam agora em empresas de cobranças, faziam cobranças legais e ilegais», explica o realizador.

Este acabou por ser o fio condutor de São Jorge (nome que foi dado por ser o santo que protege a personagem de Nuno Lopes) e que levou o protagonista a entranhar-se nesse ambiente. Para aprimorar a sua personagem, Nuno Lopes engordou cerca de 20 quilos e treinou durante seis meses.

«No combate é mesmo ele, é um combate real. Como era um filme de baixo orçamento tinha de ser feito durante uma gala de boxe normal, que é como se chamam os combates. Tínhamos um bocadinho de tempo para fazer o combate. As coisas coreografadas são muito poucas. Foi duríssimo para o Nuno», lembra Marco Martins.

O filme, que chega às salas de cinema a 9 d eMarço de 2017 conta ainda com David Semedo, José Raposo, Gonçalo Waddington, Adriano Luz e Mariana Nunes. O director de fotografia é Carlos Lopes, que trabalhou com Marco Martins nos seus outros projectos. A produtora é a Filmes do Tejo II.


Veja o vídeo no canal de YouTube do TRENDY.


SINOPSE
Jorge, boxeur, desempregado, corre o risco de perder o seu filho e a sua mulher, quando esta decide regressar ao Brasil. Em desespero, aceita trabalho numa empresa de cobranças difíceis. Ironicamente, Jorge passa a intimidar aqueles que, como ele, se veem a braços com dívidas que não conseguem pagar. Impele-o a fé numa vida melhor para a sua família, mesmo quando se vê empurrado para um caminho de marginalidade.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].