A Canção de Lisboa toca baixinho… para já

Com apenas duas semanas de exibição nas salas de cinema, o filme A Canção de Lisboa já ultrapassou os 110 mil espectadores.

Com argumento e realização de Pedro Varela, A Canção de Lisboa leva, novamente, Vasco de Leitão aos cinemas. Vasco é um estudante de medicina que vive em Lisboa à conta da mesada das tias, que o julgam já Doutor.

Contudo, Vasco prefere os bares e as mulheres bonitas, em particular Alice, uma rapariga com talento para a música e filha do candidato a Primeiro-Ministro José Caetano. No mesmo dia em que volta a reprovar uma prova oral, Vasco recebe um e-mail das tias a comunicarem uma visita a Lisboa.

César Mourão, Miguel Guilherme, Luana Martau, Marcus Majella – diretamente do Brasil -, Maria Vieira, São José Lapa, Carla Vasconcelos, Dinarte Freitas e Ruy de Carvalho são alguns dos nomes que compõem um verdadeiro elenco de luxo e que dá vida à nova Canção de Lisboa produzida por Leonel Vieira.

Este é o último filme da trilogia de remakes de clássicos portugueses: os outros dois foram O Pátio das Cantigas e O Leão da Estrela. Com uma assistência de 113 259 espectadores em duas semanas, a produção quer agora alcançar a meta dos 200 mil.

Com o mês todo de Agosto ainda pela frente, o filme deve mesmo manter-se nas salas mesmo até ao início de Setembro, o que perfaz sete semanas em cartaz, pelo menos.

Os dois outros filmes estiveram nas salas durante, sensivelmente, o mesmo tempo: O Pátio esteve em exibição na maior parte das salas cerca de oito semanas e chegou às doze em outras; já o Leão esteve em exibição cerca de nove semanas, segundo informações dadas ao TRENDY por fonte oficial da NOS.

Para já, o Pátio das Cantigas é o filme mais visto desta trilogia e também o português mais visto de sempre, com 607 608 espectadores (cerca de 60 mil bilhetes por semana).

Já o Leão da Estrela é a grande desilusão desta série de filmes remakes dos clássicos: no tempo em que esteve nas salas de cinema conseguiu apenas 198 082 espectadores (uma média de 22 mil pessoas por semana).

Com duas semanas de exibição e 113 mil espectadores, a missão de apanhar O Pátio das Cantigas torna-se praticamente impossível, uma vez que o filme tente de diminuir o número de espectadores à medida que fica mais tempo no cinema.

Na melhor das hipóteses a média mantém-se. Contudo, para que O Pátio seja atingido ou mesmo ultrapassado, A Canção de Lisboa tem de se aguentar mais onze semanas em cena, isto se mantiver a mesma média de espectadores das primeiras duas semanas (56 mil).

Mas, para já, o objectivo principal da produtora é atingir a marca dos 200 mil espectadores e ter um milhão de euros de receita bruta. Extrapolando os valores, já com os outros filmes na contagem, a trilogia quer gerar cinco milhões de euros e chegar a 1 milhão de espectadores.


Veja o vídeo no canal de YouTube do TRENDY.


Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].