Este vinho tinto do Alentejo é um alerta sobre as alterações climáticas: tem de se beber fresco

©Howard's Folly
©Howard's Folly

A produtora alentejana Howard’s Folly apresenta um vinho tinto de vinhas velhas que de deve beber frio. O Freshco tem uma consciência ambiental.

Os tintos devem beber-se à temperatura ambiente? Nem sempre isto é verdade, uma vez que no Verão, dificilmente alguém irá beber um vinho destes a 25 graus – vários enólogos recomendam, inclusive, que, nesta situação, se ponham as garrafas durante alguns minutos no frigorífico.

Isto é mesmo o que pede o novo vinho da Howard’s Folly, uma produtora do Alentejo que acaba de lançar o Freshco? 2020, que deve ser bebido a uma temperatura de doze graus.

Como argumento de marketing, a Howard’s Folly dá um conceito ambiental a este vinho: foi criado para alertar para as alterações climáticas e para o aquecimento global. A marca fez, inclusive, uma parceria com o activista Justin Brice Guariglia.

Rótulo alerta para o o aquecimento global

Guariglia acabou também por criar o rótulo: é uma foto aérea dos «glaciares da Gronelândia», tirada pelo próprio em 2016. «O gelo na imagem derreteu uma semana após a fotografia ter sido tirada, e nunca mais voltará a formar», conta a Howard’s Folly.

©Howard Folly
©Howard Folly | O rótulo do Freshco? 2020 mostra um glaciar que derreteu pouco tempo depois de ter sido tirada a foto.

Sobre o vinho em concreto, o Freshco? 2020 é um «tinto mais leve» com notas de «frutos silvestres, mirtilo, amora e groselha»; segundo a produtora, é «longo, fresco e suculento com suaves taninos». O PVP é de dez euros, mas na loja da Howard’s Folly está apenas disponível em caixa de seis, por sessenta euros.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].