Continente abre a primeira loja em Portugal onde se pode fazer compras sem pagar nas caixas

Fica em Lisboa, a primeira loja do Continente onde não temos de passar numa caixa para pagar. Tudo é feito com o telemóvel e até se podem sair com as compras nos bolsos.

O conceito é igual ao supermercado que a Amazon anunciou há cinco anos, e que já existe mesmo, mas a Sonae será mesmo a primeira marca europeia a abrir uma loja do género.

Esta loja chama-se Continente Labs e fica em Lisboa, na zona do Arco do Cego (no 2B da Rua D. Filipa de Vilhena, no cruzamento com a Duque d’Ávila); aqui, a ideia é usar o telemóvel para tudo, mas só quem tiver cartão Continente com Continente Pay activo é que pode fazer compras.

Além disso, será necessário ter uma app: a Continente Labs (disponível para iOS e Android). Ao entrar na loja, temos de passar um código QR num leitor para activar o sistema – depois, basta recolher os produtos, que podem ser levados em «sacos, nos bolsos ou mesmo na mão», diz Frederico Santos, director de inovação e transformação digital da Sonae MC.

Startup portuguesa Sensei ajuda a fazer as compras

Tudo isto funciona em conjunto com um sistema de machine vision da startup portuguesa Sensei, que se baseia em 230 câmaras e 400 sensores que «associam os produtos recolhidos (e devolvidos) das prateleiras por cada cliente».

Isto cria «carrinhos de compras virtuais» com os pagamentos a serem feitos de forma automática, pelo cartão associado à app Continente Labs, quando passamos pelos pórticos de saída da loja. A factura é gerada de forma digital na mesma aplicação.

Bebidas alcoólicas com tratamento especial

A loja tem tudo o que seria de esperar num espaço deste género (a Sonae fala em mais de mil produtos): frutas, legumes, carne, peixe, snacks, produtos de limpeza e mercearia, por exemplo. No caso das bebidas alcoólicas, devido a questões de legislação e segurança, é preciso pedir a um colaborador do Continente para desbloquear o expositor respectivo.

O Continente Labs, que abriu esta semana, faz parte de um «projecto da marca com várias manifestações enquanto incubadora de inovação. Este projecto consiste na promoção da experimentação de soluções inovadoras ao cliente – tecnológicas ou não», conclui Frederico Santos.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].