Consumo de mirtilo pode ser perigoso para o fígado, conclui um estudo da Universidade de Coimbra

©Joanna Kosinska
©Joanna Kosinska

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra fez um estudo sobre o impacto desta fruta no organismo e descobriu que o fígado pode sofrer com o consumo em excesso.

Se é um fã de taças de fruta com granola e costuma abusar dos mirtilos, pode estar a pôr em risco o seu fígado. O alerta é feito por uma equipa da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Flávio Reis) e do Instituto de Investigação Clínica e Biomédica de Coimbra (Sofia Viana). O projecto teve ainda a participação da aluna de doutoramento Sara Nunes.

Esta equipa chegou à conclusão de que «o consumo continuado de mirtilo em doses diárias de cerca de 240 gramas tem um forte impacto hepático». Esta quantidade do fruto vermelho é sensivelmente a mesma que têm as pequenas caixas que estão à venda nos supermercados.

A descoberta aconteceu depois de um ensaio feito em ratos de laboratório, durante catorze semanas, em que os animais beberam um copo e meio de sumo de mirtilo, de «forma regular». Flávio Reis e Sofia Viana detectaram que o «impacto hepático foi surpreendente, particularmente na função mitocondrial», com efeitos semelhantes a uma «dieta hipercalórica», explica Sara Nunes.

©Universidade de Coimbra
©Universidade de Coimbra | Sofia Viana, Flávio Reis e Sara Nunes, a equipa responsável pelo estudo sobre o impacto do mirtilo no fígado.

Mirtilo ajuda a prevenir doenças, mas…

Apesar de a equipa acreditar que o «consumo continuado de de mirtilo» pode «prevenir ou atenuar contextos de doença, como, por exemplo, a diabetes e a obesidade», pode provocar «algum tipo de desequilíbrio e ter consequências nocivas para a saúde».

Os três cientistas vão agora continua a investigação sobre os mirtilos, com foco na clarificação destes dois cenários: a ideia é perceber qual é a quantidade ideal desta fruta que pode ser consumida, para que as consequências sejam benéficas para organismo, sem por em causa a “saúde” do fígado.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].