©Apple
©Apple

Más notícias para os fãs da Apple: os novos iPhone 12 não trazem carregadores USB e auscultadores

Mais uma vez, os rumores foram (quase) todos confirmados e a Apple acabou mesmo por lançar quatro versões do novo iPhone 12. Carregadores é que não há.

Está confirmado: a Apple deixar de incluir carregadores USB e auscultadores com os novos iPhones; entre outras coisas, a marca justifica esta decisão com razões ambientais, assentes em dois pilares.

Por um lado, são materiais que se poupam na produção de carregadores, por outro, isto permite reduzir as dimensões da caixa e incluir mais unidades do iPhone num carregamento (mais 70%), logo reduzir as viagens e as emissões de dióxido de carbono. A Apple lança um número: dois milhões toneladas que já não serão emitidas para a atmosfera.

Caixa dos novos iPhone só vem com um cabo

Esta poupança da Apple, no papel, faz sentido: muitos dos consumidores que compram um novo iPhone já são clientes da marca e, provavelmente, têm carregadores de modelos antigos que podem usar com os novos; a falta de auscultadores também não deve ser um problema pela mesma razão.

©Apple | Caixa iPhone 12

O problema está na solução encontrada pela Apple (e que também se vai aplicar a novos carregamentos dos iPhone XR, 11 e o SE de 2020): o único cabo incluído nas caixas é um USB-C/Lightning que de nada vai servir a quem tenha um carregador de parede dos antigos, uma vez que é apenas USB.

Isto faz com que os novos iPhone 12 apenas possam ser carregados, sem carregador, em computadores que tenha uma entrada USB-C, como os mais recentes Macbook, por exemplo. A alternativa é comprar um acessório destes da Apple, por 25 euros.

Durante a apresentação, a Apple promoveu (e não foi pouco) os carregadores sem fios – há uma nova linha MagSafe (foto em baixo) que se “cola” por ímanes à traseira de todos os modelos e que acabou por servir para desviar as atenções desta nova abordagem da Apple ao mercado.

@Apple | MagSafe

iPhone 12 mais barato custa 829 euros

Polémicas com carregadores (ou falta deles) à parte, e voltando ao início deste artigo, a Apple tem agora quatro modelos iPhone: 12, 12 Pro, 12 Pro Max e o Mini, de que já falámos. O design mudou mesmo e é um “reviver” do formato inaugurado com os 4 e refinado com os 5: uma moldura em alumínio (agora revestida de cerâmica) de linhas mais rectas substitui o designa mais arredondado que foi usado desde os 6 até aos 11.

Todos os iPhone começam a poder ser reservados nas próximas semanas, mas alguns modelos só chegam em Novembro. Quanto a preços, a Apple não mudou assim tanto, como fez com os acessórios e continua a pensar… dentro da caixa: o mais barato será o iPhone 12 Mini de 64 GB (829 euros) e o mais caro quase bate nos 2000: o iPhone 12 Pro Max de 512 GB chega aos 1629 euros.

As características, formulários de encomenda, datas de disponibilidade, preços, características e versões podem ser vistas no site da Apple. Se quiser, pode ver o evento de apresnetação completo aqui.

Esta artigo foi originalmente publicado na PCGuia.

Ricardo Durand
Começou no jornalismo de tecnologias em 2005 e tem interesse especial por gadgets com ecrã táctil e praias selvagens do Alentejo. É editor do site Trendy e faz regularmente viagens pelo País em busca dos melhores spots para fazer surf. Pode falar com ele pelo e-mail [email protected].