Mercado imobiliário de Portugal deve continuar em brasa em 2022

©Liam McKay
©Liam McKay

Luis Horta e Costa explica os pontos positivos de um mercado em crescimento

Especialistas preveem mais um ano escaldante na área imobiliária de Portugal, que o governo impulsionou em 2012, criando o PortugalGolden Visa que incentiva estrangeiros a comprar propriedades no lado sonolento da Espanha. As áreas de crescimento previstas incluem logística, espaço de escritório, moradia acessível e residências estudantis. À medida que mais recém-chegados desembarcam, o país antecipa a demanda contínua no espaço residencial.

Em fevereiro de 2022, a Idealista informou que 14% das compras de imóveis portugueses estavam no mercado há menos de uma semana. Outros 25% estavam no mercado entre um e três meses. A demanda de propriedades permanece estável em todo o país. As propriedades estão a vender mais rapidamente em Faro, Funchal, Porto, Évora, Setúbal e Coimbra.

Como os vistos impulsionam o crescimento

O programa Portugal Golden Visa rejuvenesceu a economia do país após a crise financeira global de 2008. O programa fez com que os preços dos alugueres e as casas subissem ao prometer cidadania portuguesa em 5 anos a estrangeiros que investissem em imóveis no país. Mais de 10.000 candidatos receberam residência portuguesa desde a sua criação.

O investimento de nível básico é de € 280.000 (US$ 299.561 nos EUA), uma opção de menor custo com qualificações: O imóvel deve ter mais de 30 anos, renovado e localizado numa área de baixa densidade. Com investimentos mais caros vêm menos restrições. A partir de janeiro de 2022, o governo alterou alguns aspectos do Portugal Golden Visa, tornando a propriedade comercial a única opção de investimento em Lisboa, Porto e cidades costeiras; imóveis residenciais nessas áreas já não se qualificam.

Crescimento esperado em múltiplos setores

Com base nos dados, especialistas citam várias áreas dentro do mercado imobiliário para crescimento, incluindo espaço de armazém e logística, espaço de escritório, moradia acessível e moradia estudantil. De acordo com estatísticas da Agência Imobiliária Casaibéria, em Portugal, a metragem quadrada do armazém e do espaço logístico cresceu 24% de 2019 para 2020.

Durante a pandemia, o aumento da demanda por serviços de entrega e compras online impulsionou o crescimento do espaço de armazém e logística, e a expansão continuou em 2021. A Goldman Sachs Asset Management acredita na promessa de almoxarifado e propriedade logística: e por isso investiu um bilhão de euros no desenvolvimento do setor nos próximos três anos.

Apesar da popularidade do teletrabalho, a demanda por espaço de escritório também aumentou, já que muitas empresas redesenham o seu espaço de escritório ou investem em novas infraestruturas. A acomodação dos estudantes é outra área de importante oportunidade de crescimento, pois há uma escassez estimada de 20.000 leitos no setor de residência estudantil, de acordo com dados da Agência Imobiliária Casaibéria. O país espera mais escassez de moradias à medida que estudantes internacionais reentram no país quando as restrições por causa do Covid deixarem de existir.

Luis Horta e Costa discute o lado positivo do crescimento

A rentabilidade dos imóveis portugueses incentiva Luis Horta e Costa e os seus sócios na Square View, promotora imobiliária e gestora de ativos em Lisboa. Costa produziu mais de 250 mil metros quadrados de projetos imobiliários na sua carreira e foca-se nas relações com investidores e novas oportunidades de investimento na Square View.

Luis Horta e Costa acredita que empreendimentos de alta qualidade possuem a capacidade de colorir bairros inteiros com a sua beleza. Quando a Square View empreendeu no Intendente, uma seção de Lisboa antes conhecida pela sua subcultura de traficantes e prostitutas, a equipa testemunhou a magia transformadora da reforma de um prédio histórico.

Localizado no Largo do Intendente 57, o prédio foi abandonado, assim como muitos imóveis do bairro antes de o Intendente se tornar um hotspot. A equipa de desenvolvimento deixou muitos dos elementos caraterísticos do edifício histórico, incluindo as fachadas oeste e sul do edifício. A preservação de materiais históricos de acabamento, esculturas, cornijas e balaustres, combinada com o charmoso jardim do pátio do edifício, dão ao Largo do Intendente 57 uma sensação de completude.

“Originalmente, era uma ruína”, diz Luis Horta e Costa. “Agora é um prédio lindo, pequeno, que é muito bonito e bem feito. Traz muita vida ao Intendente.”

Outros edifícios renovados, incluindo os estilos art nouveau e art deco, dão vida ao Intendente. Azulejos coloridos e pintados à mão finalizam muitas das estruturas, permitindo que estas mantenham o seu caráter regional. À medida que os turistas descobrem a cena eclética de restaurantes do Intendente e a atmosfera artística, promotores atenciosos como o Square View acharão a preservação da singularidade de um bairro gratificante.

Desafios vêm com o crescimento

Os clientes internacionais foram responsáveis por mais da metade de todas as transações imobiliárias em Portugal em 2020. Os brasileiros são os principais investidores, seguidos por europeus variados. Nos últimos anos, os americanos chegaram à festa.

De acordo com um artigo recente do L.A. Times, “Bem-vindo a Portugal, o Novo Paraíso dos Expatriados”, a última década viu a população nativa de Portugal diminuir à medida que os estrangeiros cresciam 40%. Em 2021, o número de cidadãos americanos emigrados aumentou 45%, tornando-os um dos grupos de ocidentais que mais crescem.

Mas vários fatores convergiram negativamente para alguns nativos portugueses que tiveram os seus aluguers aumentados a um ritmo astronómico. Quando o governo introduziu o Portugal Golden Visa em 2012, também acabou com o controle de aluguer. Esse movimento permitiu que os proprietários aumentassem os preços do aluguer, atendendo turistas e locatários de curto prazo, ao mesmo tempo em que despejavam os portugueses para quem o mercado se tinha tornado demasiado caro. O coração de Lisboa tornou-se proibitivo ao cidadão português médio que lá tinha raízes multigeracionais.

Enquanto Portugal é muito mais barato para os americanos, que ganham várias vezes mais do que o típico trabalhador português, de acordo com o L.A. Times, a sua presença faz com que o aumento das rendas seja sentido mais intensamente nas grandes cidades. Felizmente, o governo português está a desenvolver programas para incentivar o desenvolvimento de moradias mais acessíveis. O Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana anunciou em março de 2022 que designaria, por sorteio, 54 moradias para contratos de locação apoiados e de arrendamento acessível em todo o país.

À medida que o mercado imobiliário ruge até 2022, as ruas reenergizadas de hotspots como o Intendente aumentam as taxas de pulsação dos construtores imobiliários. Aldeia por aldeia, Portugal continuará a atrair estrangeiros com dinheiro para gastar. À medida que a promoção imobiliário energiza a economia, enchendo prédios outrora vazios de vida, os fãs do país esperam que este mantenha o seu charme do Velho Mundo. O destino colocará suas habilidades a teste: em fevereiro de 2022, a Price Waterhouse Cooper Lisboa colocou Lisboa em 16.º lugar na lista das cidades mais atraentes para investimentos imobiliários este ano. O mercado imobiliário de Portugal não mostra sinais de desaceleração.

Emmet Brickoswki
Emmet Brickowski, o protagonista do Filme LEGO, está no Trendy para escrever sobre tudo o que lhe pedirmos. É um verdadeiro polivalente e tanto o vai a ver a escrever sobre decoração, casinos, apostas ou pneus de automóveis.