Gotik Ribatejo Gin

Gotik: há um gin português que vem do Ribatejo

por • 30 Maio, 2017 • Made in Portugal 🇵🇹Comentários fechados em Gotik: há um gin português que vem do Ribatejo378

Anunciado como o «primeiro gin do Ribatejo», o Gotik vem numa garrafa de 700 ml e é produzido pela destilaria de autor MVP Gin.

Depois de gins como o alentejano Sharish ou o Friday Chic, há mais um gin nacional no mercado.

A novidade é o Gotik, destilado na MVP Gin (Santarém) e que se assume como o «primeiro gin do Ribatejo».

Este gin, que está no mercado em soft launch desde o Natal passado, tem um
bouquet coma aromáticas características do Ribatejo. São 21 os botânicos presentes (alguns produzidos pela empresa), e deles fazem parte o zimbro português e a abóbora-manteiga.

Além destes, o gin Gotik (40% vol.) tem sementes de coentros, pimenta-rosa, cardamomo, noz, tomate, framboesa, amora e morango. Há ainda notas de erva de São Roberto, hipericão, orégãos, tília, rosmaninho, alecrim, tomilho, flor de laranjeira, limão, tangerina e canela.

«Criámos um gin nacional de carisma regional na categoria Ultra Premium, a pensar no consumidor mais exigente e conhecedor. Cada garrafa oferece os sabores e a marca Ribatejo, associados a um modo de produção ancestral de extração de aromas para a produção da bebida», afrima Gonçalo Pereira gerente da MVP Gin.

O rótulo da garrafa do Gotik reflecte uma «homenagem a Santarém e ao traço gótico de muitos dos seus monumentos». Em concreto, este elemento mostra o desenho da rosácea da Igreja de Santa Clara e tem ainda as suas coordenadas.

Mais preparado para o «mercado internacional» e dirigido ao «mercado profissional e conhecedor de gin não contemporâneo», o Gotik tem uma produção esperada de cinco mil garrafas até final de 2017.

Para 2018, Gonçalo Pereira quer chegar às dez mil e produzir mais dois gins no Ribatejo: um do tipo Casked Age e ainda um outro destilado, para juntar ao London Dry Gotik.

Os gins com produção nacional não são novidade: o Commodore foi um dos primeiros, marca que depois deu lugar ao gin Big Boss. Mais recentemente apareceu o alentejano Sharish e o NAO, produzido no Douro. Muito conhecido é também o Gin Sul, com ingredientes portugueses, embora destilado em Hamburgo.

Artigos Relacionados